Fuja da obesidade

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo

No mundo todo, as pesquisas confirmam: tratamentos que agregam exercícios físicos à dieta alimentar promovem maior índice de perda de gordura. E o raciocínio é simples: para ganhar peso deve-se ingerir mais do que se gasta. Para perder, é o inverso: é preciso gastar mais do que se ingere. Afinal, quando aumentamos a atividade física, aumentamos também o gasto energético acima da ingestão alimentar – o que faz com que a gordura corporal seja reduzida.
A obesidade está cada vez mais atingindo crianças e adultos. E qual seria o melhor método de evitá-la? Em primeiro lugar, é preciso obter maior informação a respeito.
Tudo começa entre dois e três anos de idade, quando adquirimos a maior parte das células adiposas, responsáveis pelo armazenamento de gordura no corpo. Essas células são elásticas — isso significa que quando são estimuladas pelo excesso alimentar podem armazenar gorduras até dez vezes o seu tamanho. Depois que atingem seu limite, dividem-se e duplicam em número, dobrando também o índice de gordura.
Na adolescência, essa multiplicação diminui. Porém, o tecido adiposo produzido na infância nos acompanhará pelo resto da vida. Portanto, quando chegamos à fase adulta, já contamos com uma tendência à obesidade. Quando ingerimos alimentos energéticos como carboidratos ou glicídios, ou ainda açúcares, com certeza estamos respondendo a uma necessidade do organismo. Mas, ao excedermos a quantidade básica, essas substâncias são transformadas em triglicérides e armazenadas em células especiais, chamadas adipócitos. Nesse caso, as dietas podem até esvaziar os reservatórios de gordura”, mas não conseguem eliminar as células adiposas. Assim, qualquer desequilíbrio pode inchá-las novamente.

Será que sou obeso?
Há várias técnicas para determinar se uma pessoa é ou não obesa. Uma delas é calcular o índice de massa corpórea(IMC).
Para calcular esse índice, divida o peso pelo quadrado da altura.
Por exemplo: uma mulher que pesa 54 quilos e tem 1,63 m de altura calcula seu índice dividindo 54 pelo resultado da multiplicação 1,63 x 1,63.
54/2,65 = 20,37

Confira o resultado com a tabela abaixo:

Menor que 18,5 Abaixo do peso
18,5 a 24,9 Normal
25,0 a 29,9 Sobrepeso
30,0 a 34,9 Obesidade grau 1
35,0 a 39,9 Obesidade grau 2
40,0 pra cima Obesidade grau 3

Atitude

Se o seu resultado apontou para um sobrepeso ou obesidade, não se sinta solitário: você vai encontrar muitas pessoas fazendo regimes. Mas, aconteça o que acontecer, não se esqueça de que a regra mais importante de uma boa dieta é: não se deve perder peso muito rapidamente”. Quem faz isso tem que enfrentar a flacidez, pois perde grande parte de nutrientes essenciais que compõem os músculos utilizados para as mais diversas atividades físicas.
Além disso, obesos são passíveis de apresentar quadros de arterios clerose, hipertensão, taxa de colesterol alta e muitas outras doenças. Tudo isso pelo simples fato de não terem disciplina alimentar — o que poderia ter sido facilmente corrigido na infância. Alimentação inadequada, abundância de gorduras saturadas, carboidratos complexos e inatividade física aumentam o mau colesterol.

Fonte Vida e Saúde

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *