Plástica depois da cirurgia de estômago

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo

Vida nova!
Depois da plástica é possivel esquecer que um dia se foi obeso, ganhando
novas formas que fazem valer a pena encarar o bisturi.
A obesidade mórbida (pessoas com Índice de Massa Corpórea (acima de 35 ou 40) fez surgir nos consultórios dos cirurgiões plásticos um novo tipo de paciente: aquele que eliminou muito peso em pouco tempo e precisa passar por cirurgias de retirada de pele para ganhar um novo contorno corporal. “Antigamente era comum emagrecer 80 quilos devagar, com remédios, dietas e as sobras de pele não eram exageradas. Hoje, com a operação bariátrica, é possível emagrecer 100 quilos em um ano. Não estávamos habituados a esse perfil”, afirma o cirurgião plástico do Hospital Sírio-Libanês, Alexandre Piassi Passos. Dados da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) indicam que são realizadas cerca de 25 mil cirurgias bariátricas, conhecidas como cirurgias de redução do estômago, por ano. “A plástica em ex-obesos tem função muito mais reparadora do que estética. Por isso, é essencial uma boa orientação
e o acompanhamento de médico, nutricionista e psicólogo para saber conviver
com as cicatrizes. Não dá para trocar o problema de excesso de pele pela rejeição da cicatriz”, explica o cirurgião plástico.
Qualquer cirurgia só deve ser feita se houver um equilíbrio entre as condições
orgânicas e psicológicas do paciente. Cerca de 15% a 30% dos que têm o estômago reduzido volta a engordar por ansiedade, medo da nova vida e, com isso, perde-se o resultado da plástica. É necessária uma reeducação alimentar e a prática
de exercícios para poder encarar a vida nova. Outro ponto a ressaltar é que esse procedimento não é indicado para quem ainda está perdendo peso. Deve ser feito quando a pessoa estiver mantendo seu peso por oito meses a um ano. De acordo com o Dr. Alexandre, até os 40 anos, em média, a retração cutânea é relativamente boa. Porém, a perda de 30 até 60 quilos é muito grande para qualquer organismo manter a elasticidade da pele, sendo inevitável a perda das formas do corpo.

Fonte:Corpo & plástiCa

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *