Sinais de alerta

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo

As atitudes que podem levar às disfunções do comportamento alimentar

Nos dias atuais, a sociedade demonstra excessiva preocupação com a estética corporal. Os padrões de beleza são cada vez mais definidos por uma parcela mínima da população formada por mulheres esbeltas, altas, elevadas ao topo, não apenas das passarelas, mas do desejo da maioria de outras mulheres.
Há não muito tempo, quando uma menina era indagada sobre a profissão que desejava ter no futuro, respostas como: enfermeira, professora, veterinária e pediatra eram comuns. Atualmente, as meninas desejam ser modelos e atrizes.
Uma pesquisa realizada no Hospital das Clínicas de São Paulo destacou que 90% das mulheres en trevistadas estavam infelizes com seu peso. Mas apenas 18% delas precisavam realmente emagrecer, de acordo com os critérios de IMC (ín dice de massa corpórea). Outras 70%, apesar de estarem dentro dos índices normais, sentiam-se ansiosas e desapontadas com a própria imagem. As mulheres pesquisadas comparam-se a modelos e atrizes.
É exatamente nesse cenário que se encontra terreno fértil para o de senvolvimento dos transtornos e disfunções alimentares. Os transtornos alimentares provocam graves alterações na conduta alimentar. Os mais importantes são a anorexia e a bulimia nervosas.
A bulimia nervosa é caracterizada por recorrentes episódios compulsivos, onde um número exagerado de calorias é consumido. Está pre sente uma sensação de descontrole do comportamento alimentar durante os episódios compulsivos. O medo de engordar é amenizado com comportamentos purgativos compensatórios como vômito auto-induzido, uso de laxantes, atividade física excessiva e dieta restritiva.
A auto-avaliação das pessoas acometidas pelo transtorno é altamente distorcida, ou seja, não confere com a realidade. A pessoa tende a se ver mais gorda do que efetivamente é.
Na anorexia nervosa, a pessoa revela uma recusa em manter-se dentro de um padrão de peso considerado normal para sua idade e estrutura corpórea, e escolhe manter-se mais magra do que o peso considerado saudável. Está presente um medo extremado de engordar, mesmo a pessoa estando bem abaixo do peso. Nas mulheres ocorre a ausência do ciclo menstrual. Os anoréxicos quase sempre são bulímicos e os bulímicos podem passar por fases de anorexia.
Outro transtorno descrito é o transtorno alimentar noturno, que retrata o comportamento das pessoas que se levantam para comer à noite. Não são conscientes do que fazem e não lembram do episódio com pulsivo ao despertar. A despeito desses “assaltos” noturnos à cozinha, a maioria dessas pessoas faz regime durante o dia.
No conjunto de transtornos mais conhecidos está também o transtorno do comer compulsivo, o binge eating disorder, que se refere às pessoas que apresentam episódios bulímicos, sem se utilizarem de métodos purgativos depois, como acontece na bulimia nervosa. No transtorno do comer compulsivo, também não há preocupação mórbida e irracional com o peso e a forma do corpo, assim como acontece na bulimia e na anorexia. As pessoas acometidas por esse transtorno são, na maioria das vezes, obesas.

Fonte: Vida e Saúde

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *