Author Archives: Giselle

Cuidado com as calorias do couvert

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Comer fora com os amigos, o namorado ou a familia é um dos programas que você mais gosta? Então aproveite. Mas, se quiser um conselho, aprenda a identificar e vencer as pegadinhas calóricas dos restaurantes. Não se engane pensando que o perigo está só nos pratos principais preparados com manteiga ou creme de leite e nas enormes sobremesas açucaradas. O couvert também tem ciladas — e das boas! Apesar do visual inocente, os pequenos potes trazem delícias quase sempre mergulhadas no azeite — a berinjela marinada é tradicional — e acompanhadas de pão, muito pão (um mais tentador que o outro!), Resistir é uma prova de fogo quase impossível de vencer, principalmente porque essas comidinhas são colocadas diante dos nossos olhos no auge da fome. E aí não tem jeito: enquanto você espera o garçom trazer seu pedido, belisca uma torradinha de alho aqui, um minicroissant com patê de queijo ali e, sem perceber, chega a consumir nada menos que 600 calorias! Se não der para trocar o couvert por uma entrada menos calórica (afinal, outras pessoas da mesa podem querer os petiscos), veja o que as nutricionistas Samantha Macedo, da Equilibrium Consultoria em Nutrição & Bem-Estar e Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional, as duas em São Paulo, recomendam para deixar os beliscos mais amigos em cinco situações diferentes.

Couvert da casa
Você senta à mesa e lá vem o garçom com a tradicional berinjela marínada, pãozinho, manteiga, torradinha de alho, palitas de cenoura e pepina, azeite aromatízado. Não deu para comer só os legumes? Pelo menos evite cair de boca no pão com manteiga:troque-a por um fiozinho de azeite e procure pedir uma opção leve no prato principal. E esqueça a sobremesa e o refrigerante (peça uma limonada, um suco de maracujá com adoçante ou uma água acompanhada com uma rodela de laranja ou limão).

Sistema de bufê
Antes de começar a colocar as comidinhas no prato, dê uma olhada geral no balcão do couvert. É uma ótima maneira de fazer combinações interessantes só com as opções mais leves. Quer ver: torradinhas simples (três feitas de pão francês) acompanhadas com patês à base de ricota, cream cheese ou queijo cottage, e cenoura, pepino, salsão em tiras e tomate-cereja. Outras interessantes são: azeitona, palmito, aspargo, fundo de alcachofra, picles, kani kama, cogumelo, salmão marinado e carpaccio.

Vai pedir nhoque?
Esqueça os pâes do couvert — mesmo os mais light. Prefira legumes (berinjela, abóbora, cenoura e abobrínha) grelhados, patês levínhos (ricota com ervas) e, no máximo, azeitonas (só quatro e com pouco azeite).

Pão é sua paixão
Confirme se o restaurante oferece a versão integral. Se não, coma meio pão francês sem miolo. O índice glícêmico (IG) do pão branco é alto e, por isso, estimula a produção de insulina em larga escala (em excesso, esse hormônio faz o corpo acumular mais gordura, lembra?), além de abrir o apetite. Compense o poder que esse alimento tem de engordar com um prato principal rico em proteínas magras (atum, salmão, frango, peru) grelhados. E complemente a refeição com vegetais e frutas com 0 baixo (salada verde e abacaxi, por exemplo).

A salada primeiro
Se, ao chegar, você pedir de cara uma salada de folhas verdes, vai reduzir bem o poder que as opções do couvert, especialmente o pão, têm de engordar. As fibras das folhas e legumes diminuem a velocidade com que os carboidratos são transformados em açúcar no sangue, de novo poupando o organismo de uma enxurrada de insulina, A proteina — de um carpaccio, por exemplo — também ajuda a segurar o índice glicêmico dos carboidratos e, com isso, a refeição engorda bem menos.

Outro bom começo
Dependendo do restaurante, você pode dispensar o couvert e começar sua refeição com entradinhas leves e interessantes como estas
Casquinha de siri: rica em proteína, dá uma boa sensação de saciedade e reduz o índice glicêmico da refeição. A unidade (120 g) tem 188 calorias.
Coquetel de frutos do mar: essa é outra opção com bastante proteína. Uma porção (200 g) com ostra e camarão (sem molho) tem 135 calorias.
Carpaccio (6 fatias finas) com rúcuta, molho de mostarda e alcaparras (sem parmesào): fonte de proteína, fibras e um pouco de carboidrato. Tem cerca de 112 calorias.

Fonte : Boa Forma ed 225

Frango

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Peito de frango na chapa com temperos fortes
Ingredientes
500g de peito de frango, sem pele e lavado em água corrente
4 cebolas médias cortadas de comprido
1/2 xícara (chá) de shoyu
Caldo de limão
1 colher (chá) de noz-moscada
1 pitada de páprica
1 colher (sobremesa) de mostarda
1 colher (chá) de óleo de canola, girassol ou milho
Sal a gosto
Modo de preparo
Faça o molho com o shoyu, o suco de limão, a noz-moscada, a páprica, a cebola e o sal. Deixe os filés descansarem nesse molho por 10 minutos. Unte uma frigideira não aderente e aqueça-a. Leve os filés para serem tostados, junto com as cebolas do molho. Mostar da acompanha bem esse frango.
Rendimento: 4 porções
Calorias por porção: 180

Frango assado com ervas ao limão
Ingredientes
1 frango inteiro sem miúdos (aprox. 2 kg)
1/2 c.c. de sal
1/2 c.c. de pimenta-do-reino
1 limão grande partido ao meio
6 dentes de alho descascados e inteiros
3 galhos de tomilho fresco
3 galhos de sálvia fresca
Folhas de espinafre e galhos de sálvia e tomilho para decorar
Modo de Preparo
Preaqueça o forno a 200°C. Esfregue o peito de frango por dentro e por fora com o sal e a pimenta. Esprema a metade do limão por todo o peito. Coloque a outra metade dentro do peito junto com o alho e as ervas frescas. Costure a fenda ou prenda com palitos para fechar. Amarre as coxas.
Coloque o frango numa assadeira antiaderente com o peito para cima. Asse por 2 -2:30 h ou até ficar dourado por fora e macio por dentro. Verifique se já cozinhou espetando um garfo na carne e sair somente um líqüido claro. Retire do forno. Aguarde por 10 min. Antes de cortar.
Retire o limão e as ervas de dentro do frango e descarte. Fatie e arrume num prato guarnecido com as ervas frescas. Retire toda a pele antes de servir. Rendimento: 8 porções
Calorias: 180 por porção
Fonte: Vililantes do Peso

Sopa de frango com cenoura e temperos fortes
Ingredientes
4 xícaras (chá) de água fervente
500g de frango cozido desfiado
2 cenouras grandes cortadas em rodelas finas
2 cebolas médias 2 dentes de alho
1 talo de alho-poró picado
1/2 talo de aipo picado
1 folha de louro
1 pitada de noz-moscada
1 cebolinha e salsa picadas
1 colher(chá) de óleo de canola, girassol ou milho
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Modo de preparo
Cozinhe por 30 minutos as cenouras, o alho-poró, o aipo, o louro e uma cebola picada. Em outra panela, refogue no óleo a outra ce bola, ralada, com os dentes de alho picados e o frango desfiado para dourar levemente. junte esse refogado à sopa para cozinhar nos últimos 5 minutos. Acrescente a noz-moscada, o sal e a pimenta-do-reino a gosto. Salsa e cebolinha picadas devem ser adi cionadas só no final, sobre a sopa pronta.
Rendimento: 4 porções
Calorias por porção: 225

Depressão pós cirurgia

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Na maioria dos casos de depressão e suicídio pós-cirúrgico, os pacientes já tinham um quadro de alteração psiquiátrica. É por isso que a avaliação psicológica e o acompanhamento médico são tão importantes. Problemas como a depressão raramente são causados pela cirurgia, mas a operação pode ampliar sintomas de condições já existentes. Costuma-se perguntar para os pacientes se eles estão felizes, se recomendariam a cirurgia e se fariam de novo. A resposta é, na maioria esmagadora das vezes, positiva. Apenas uma mulher, em todos esses anos, disse que se arrependeu da cirurgia
A Organização Mundial de Saúde estima que, a cada ano, 300 mil pessoas morram em decorrência de complicações causadas pela obesidade. Nem todo obeso pode passar pela cirurgia. Quem se submete ao procedimento precisa estar dentro de certos parâmetros de índice de massa corporal.
Há também os obesos que são operados por profissionais pouco qualificados e precisam, anos depois, passar por outra cirurgia para consertar problemas causados pela primeira. O cirurgião Nilton Kawahara, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), diz que quase 70% dos pacientes operados que não seguem as orientações médicas à risca voltam a ganhar peso:
De todos os pacientes que nos procuram, 50% deles são para re-operações, na maioria mulheres, que foram submetidos a técnicas incorretas e atualmente voltaram a ser obesos mórbidos. Destes, 25% foram submetidos a métodos inadequados e o restante não seguiu as orientações de dieta, atividade física e apoio psicológico da equipe multidisciplinar.

Fontë: O Globo

No dia 8 de fevereiro foi aprovada,pelo FDA, e no dia 15 de junho começou a ser vendida a primeira medicação que não precisa de prescrição médica para o tratamento da obesidade. O medicamento é fabricado pela GlaxoSmithKline, tem o nome de Alli e reduz a quantidade de gordura dos alimentos absorvida pelo organismo. É uma versão com a metade da dose do medicamento conhecido como Xenical, produzido pela Roche AG. Enquanto o Alli tem 60 mg de orlistat, o Xenical tem 120 mg desta mesma substância em sua composição.
O FDA (Food and Drug Administration) liberou o uso do Alli para adultos com sobrepeso e enfatizou que a medicação deve ser usada juntamente com uma dieta de baixa caloria, pobre em gordura e associada a uma prática regular de atividades físicas para que seja obtido um resultado satisfatório.
A embalagem do medicamento vem dizendo que, para cada 2268 gramas perdidos por dieta, o Alli pode ajudar uma pessoa a perder de 900 a 1360 gramas a mais.
Cerca de 28% dos usuários do Alli, nos estudos realizados, perderam 5 a 10 % de seu peso corporal por um período de 6 meses, comparados a 18% dos que receberam placebo.
O medicamento pode ser usado 3 vezes ao dia nas refeições. Ele age reduzindo em 25% a quantidade de gordura que o organismo absorve. A gordura não digerida é eliminada pelo intestino, o que pode causar efeitos adversos como gases ou eliminação de fezes com gordura. Uma dieta pobre em gordura reduz esses efeitos colaterais. As pessoas que vão utilizar esta medicação devem usar um polivitamínico ao deitar para evitar a perda de certos nutrientes, acrescenta o FDA.
Alli é o primeiro medicamento para perda de peso sem prescrição médica aprovado pelo FDA. O preço será de 2 dólares por dia.
No Brasil, não há previsão de entrada da medicação ao mercado.
Pessoas que receberam transplante de órgão não devem usar esta medicação pelo risco de interações medicamentosas. Aqueles que usam anticoagulantes ou que estão sendo tratados para diabetes ou doenças da tireóide devem consultar um médico antes de usar o Alli.
O Xenical, da Roche, e o Meridia, do Laboratório Abbott, continuam sendo vendidos com prescrição médica e o laboratório Sanofi-Aventis espera a aprovação do Acomplia, outro medicamento para a perda de peso.

Fonte: Food and Drug Administration

O perigo dos remédios para emagrecer!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

A Vigilância Sanitária e a Receita Federal fecharam um laboratório que produzia remédios para emagrecer, em Ipatinga (MG). Dois mil frascos do remédio foram apreendidos.
O esquema está sendo investigado desde a semana passada, quando a Polícia Civil de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, descobriu que o remédio estava sendo vendido, de porta em porta, sem receita médica. A Vigilância Sanitária informou que o remédio não tem nome porque é uma fórmula manipulada.
A polícia descobriu que há suspeita de que o remédio foi responsável pelas mortes de duas pessoas em Contagem. Um frasco foi encaminhado, para um laboratório com o objetivo de levantar todos os componentes do medicamento. Após a finalização do laudo, será feito um levantamento para descobrir se esses componentes químicos podem ser a causa das mortes. Caso seja comprovada a possibilidade, será pedida a exumação dos corpos.
Segundo o delegado Pedro Melo, alguns dos 16 componetes do remédio podem ser cancerígenos ou utilizados como veneno para rato. Dezenas de depoimentos de consumidores já foram colhidos e alguns deles relatam emagrecimento de 40 quilos em um mês.
Segundo as investigações, a fórmula do remédio veio de Portugal, começou a ser produzida em Ipatinga e, atualmente, existem registros de que seja vendido por telefone no Paraná ou em outros países, como Bélgica e Suécia. Nos Estados Unidos, há uma suspeita de morte causada pelo emagrecedor.
O dono do laboratório está foragido, de acordo com a polícia. Seu advogado informou que ele vai prestar depoimento em breve.

Fonte: G1

DORMIR BEM EMAGRECE!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Você que vive contando caloria, preste atençao se está dormindo bem. Uma boa noite de sono também é importante para afinar a cintura. Segundo um estudo- o maior desse tipo ja feito nos EUA- mulheres que dorme pouco, cinco horas ou menos por noite, têm mais dificuldades de perder peso, cerca de 32%, do que aquelas que dormem profundamente no minimo sete horas por noite. Pior: noites maldormidas aumentam em 15% a possibildade das insones atingirem a marca de sobrepeso. A pesquisa monitorou a rotina de sono de 70 mil voluntárias durante 16 anos, reistrando mudanças de peso e horas de sono por noite. Para domrir bem evite comidas pesadas no jantar e adote um chazinho relaxante antes de ir pra cama.

AS PIORES DIETAS DA MODA!!!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Nem adianta copiar as últimas tendências do mundo do emagrecimento. As dietas mais famosas do planeta simplesmente não funcionam. Quem nos permite fazer a afirmação sem titubear e a ciência. Para sermos exatos, os estudiosos do Instituto Nacional da Saúde e Pesquisa Médica Francês. É que eles analisaram questionários respondidos por cerca de 105 mil pessoas mensalmente ao longo de três anos e perceberam que os entusiastas de cardápios restritivos secaram a barriga de forma impressionante. Só que eles recuperaram os quilos perdidos vapt vupt. Na contramão, 76% daqueles que resolveram seguir as recomendações nutricionais menos drásticas e mais, digamos oficiais, não só nocautearam o ponteiro da balança como mantiveram a nova cintura por 6 meses até decretar o fim da dieta.
A conclusão não surpreendeu os especialistas ouvidos nesta reportagem. É impossível se manter fiel as dietas radicais, dessas que propõe o corte total de algum alimento. Fora que o organismo é bem mais astuto do que se imagina. Ao enfrentar uma temporada de vacas magras, ele entende que precisa se preparar melhor para enfrentar futuras contencões. Daí quando a alimentacão normal e estabelecida, sua meta passa a ser estocar energia. Somando o fato que na maioria das pessoas volta a dar garfadas extras como antes, tudo culmina no retorno daqueles quilos elimanados. Por isso, para ser eficiente em longo prazo, uma dieta de emagrecimento não pode se afastar muito daquilo que é familiar ao indivíduo.
Mas atenção, esse motivo, que e mais manjado, nao e o único para voce desisitir de vez, de adrir a planos alimentares excêntricos.Sua saúde é claro deve ser levada em conta. E, quando se exclui, da noite para o dia, algum nutriente, o corpo sofre. Um caso clássico é a retirada brusca de carboidratos da rotina.
Na prática os carboidratos são fornecedores de glicose, suprimento primário das células.Na ausência do nutrirnte, o organismo vai atrás de outro combustível. E, diferentemente do que reza a crença popular, os alvos não gorduras

Derreta 700 calorias correndo: veja o treino poderoso

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Ok, a gente sabe que correr é um esforço e tanto, envolvendo um bocado de suor e determinação. Por outro lado, a sensação de cruzar aquela linha de chegada imaginária é maravilhosa. Não só por causa das endorfinas – substâncias que dão bem-estar e que têm a produção aumentada pelo nosso organismo durante a corrida – mas também pela sensação de dever cumprido. Isso sem falar nos benefícios que não demoram a aparecer: um corpo sequinho, pernas fortes e um coração saudável.
Temos mais um excelente motivo para você levar esse esporte a sério. Uma hora de corrida, a 11 quilômetros por hora, é capaz de derreter cerca de 700 calorias. O mesmo vale para um treinamento que mescla tiros mais rápidos e longa distância. Mas para chegar lá é preciso disciplina. Pedimos à especialista em corrida Lara de Marchi, responsável técnica da assessoria esportiva Fitotraining, que montasse um treinamento para que você melhore seu desempenho e consiga atingir essa marca. Mas você só trocou a caminhada pela corrida recentemente e ainda tem um longo caminho a percorrer? Tudo bem. Também oferecemos um treino na medida. Para os dois casos, há dicas de como evitar lesões e melhorar as técnicas de corrida.

O que comer antes de calçar o tênis

A idéia é ingerir apenas o suficiente para treinar e aproveitar ao máximo a perda calórica da atividade intensa que é a corrida. A nutricionista da Bio Ritmo, Fúlvia Gomes Hazarabedian, sugere algumas opções:

• Uma fruta (banana, maçã, pêra) de 30 a 45 minutos antes da corrida
ou
• Três biscoitos salgados ou duas torradas de 20 a 30 minutos antes do exercício.

Depois, pode tomar seu café da manhã habitual – e saudável! – com pão integral, queijo-de-minas, iogurte light…

Corra mais e mais longe
Se toda vez que sai de casa em direção ao parque ou academia você já sabe quanto tempo levará para completar 5 km, seu treinamento caiu numa rotina – e há risco de deixar a preguiça bater. Antes que isso aconteça, aprenda alguns truques que vão desafiar o seu corpo a trabalhar mais. Resultado: você vai queimar mais calorias, fortalecer a musculatura e se tornar uma corredora melhor. A seguir, três dicas do que fazer para não encostar o par de tênis.

Brinque com a velocidade
Varie seu ritmo usando a criatividade. Depois de aquecer, se estiver num parque, por exemplo, aviste uma árvore que esteja à distância e corra rápido até ela (mas não é para se matar!). Comece a trotar novamente até escolher outro alvo, que pode ser a barraca do coco. Repita a brincadeira de 5 a 10 minutos, corra em seu ritmo por mais 5 ou 10 minutos e desacelere. A atividade deve durar de 20 a 30 minutos – ou mais – e ser feita uma vez por semana.

Desafie o relógio
Aumentar sua resistência é tão importante quanto melhorar a velocidade e a técnica. Ser capaz de correr 45 minutos, uma hora ou mais ajudará a queimar mais calorias. E também a deixar o treino mais gostoso porque você não vai ficar constantemente sem fôlego. Dependendo do seu nível, correr por bastante tempo pode ser 30 minutos – ou 90 minutos! Mas respeite seus limites – dor muscular forte é sinal que está passando da conta. Corra o tempo máximo que puder sem forçar demais. Aumente ao poucos, adicionando 5 minutos a cada semana.

Melhore a técnica
Muitas pessoas acham que correr, assim como andar, é só uma questão de colocar um pé em frente ao outro. Mas essa é uma atividade que envolve técnica como qualquer outro esporte. Depois de aquecer, repita os seguintes movimentos de 30 a 60 segundos.

• Corra enquanto levanta os joelhos o mais alto que puder
• Corra com passos largos e rapidamente (será mais lento do que o normal)
• Corra em passinhos de bebê (bem curtos)
• Corra de lado (para a direita e para a esquerda)
• Corra de costas

Faça esses exercícios de duas a três vezes, então corra normalmente pelo tempo que quiser e desacelere. Ou execute as séries isoladamente.

Estratégias para você não se machucar

Aposte nos pesinhos
Não esqueça que a corrida é um esforço repetitivo de impacto, por isso, a musculatura precisa estar prevenida para agüentar a sobrecarga. Correr até ajuda a firmar os membros inferiores, mas esse efeito nos músculos não é suficiente. Você pode não gostar, mais é imprescindível encarar os exercícios de força pelo menos duas vezes por semana para melhorar a resistência muscular. Isso significa que você terá um melhor aproveitamento e rendimento, e os riscos de sofrer lesões serão menores.

Complemente com ioga
Além dos exercícios com peso, escolha atividades que não usem a mesma musculatura que a corrida e que não tenham o mesmo tipo de impacto. Essa variação vai trabalhar outros grupos musculares e deixar o corpo melhor preparado e condicionado. A ioga é uma ótima opção: ajuda na recuperação do treino de corrida, melhora a percepção corporal, a postura, a flexibilidade, a concentração e acalma a mente. A natação também é uma boa escolha. Não produz impacto e relaxa a musculatura, entre outros benefícios.

Alongue
O conselho é antigo, mas importante. Alongar prepara o corpo para a atividade pois aumenta o suprimento sanguíneo nas articulações e nos músculos. Na corrida, isso significa que o movimento terá maior amplitude e que a passada será feita de forma mais eficiente, evitando lesões. Além disso, melhora a consciência corporal. Mas é bom dar uma aquecida no corpo antes – dando saltitos e girando os braços, por exemplo – para soltar os músculos. Se eles estiverem tensos, você pode acabar se machucando no alongamento.

Descanse
Não importa o quanto saudável e em forma você esteja. Se abusar da quantidade de atividade física seu corpo vai reclamar e isso, quase sempre, vem em forma de lesão. Então, programe-se para ter ao menos um dia para não fazer nada. Além de se recuperar, durante o descanso o organismo faz uma adaptação ao estímulo recebido e com isso melhora o rendimento no próximo treino.

Dá para encara 10 KM?

Uma vez que você comece a freqüentar o asfalto – ou a esteira – com regularidade não vai demorar para pensar em outro objetivo: participar de uma corrida.

Depois de ter passado da fase da caminhada para a da corrida, 5 km vai começar a parecer fácil – é verdade, aconteceu comigo. Eu que não conseguia correr nem 2 minutos sem perder o fôlego! Não dá para desprezar a conquista dos 5 km, claro, pois é uma ótima distância para estimular seu condicionamento e melhorar sua velocidade. Mas a lógica é simples, assim que vencer a marca dos 5 km, sua próxima meta será chegar aos 10 km.

Terminar uma prova de 10 km significa treinar de 16 a 28 quilômetros por semana e isso quer dizer fazer treinos mais longos de, pelo menos, 40 minutos. Para se manter motivada, o caminho mais eficiente é participar de um grupo de treinamento ou usar uma planilha feita por um profissional, como a que estamos mostrando nesta reportagem, para treinar com planejamento.

O importante é definir se o apoio de um grupo é necessário para que você não desista na primeira ladeira ou se prefere o gênero solitário e dá conta de seguir uma planilha sozinha. Mas, nesse caso, é bom ter um profissional disponível para tirar as dúvidas e acompanhar o desempenho. Pode ser por telefone, e-mail ou mensagem instantânea, mas ele tem que saber das suas dificuldade e das suas vitórias.

E tem mais, o calendário de corridas é bastante intenso e os participantes mais do que interessantes. É provavelmente um dos poucos lugares onde o número de homens é superior ao de mulheres. Então, não esqueça de caprichar no boné e no shortinho. A camiseta é por conta da organização e quando você menos esperar vai ter uma coleção delas em casa.

Treino 1 – Para as que já correm, querem melhorar o desempenho e perder muitas calorias

Primeira semana
Segunda-feira
10 tiros de 1 minuto + 1 minuto de corrida leve (recuperação) repetida depois de cada tiro + 40 minutos de corrida leve. Total: 50 minutos

Terça-feira
30 minutos de corrida leve

Quarta-feira
20 minutos de corrida leve + 5 tiros de 5 minutos de corrida moderada + 1 ou 2 minutos de corrida leve (recuperação), repetida depois de cada tiro. Total: 55 minutos

Quinta-feira
Descanso

Sexta-feira
50 minutos de corrida leve

Sábado
60 minutos de corrida moderada

Domingo
Descanso

Segunda semana
Segunda-feira
50 minutos de corrida moderada

Terça-feira
30 minutos de corrida leve

Quarta-feira
10 tiros de 3 minutos + 1 minuto de corrida leve (recuperação), repetida após cada tiro + 20 minutos de corrida moderada. Total: 60 minutos

Quinta-feira
Descanso

Sexta-feira
50 minutos de corrida leve

Sábado
60 minutos de corrida moderada

Domingo
Descanso

Terceira semana
Segunda-feira
5 tiros de 45 segundos (de preferência subida) + 1 minuto de corrida leve (recuperação), repetida após cada tiro + 40 minutos de corrida leve. Total: 50 minutos

Terça-feira
40 minutos de corrida leve

Quarta-feira
8 tiros de 4 minutos + 2 minutos de corrida leve (recuperação), repetida após cada tiro. Total: 48 minutos

Quinta-feira
30 minutos de corrida leve

Sexta-feira
50 minutos de corrida leve

Sábado
60 minutos de corrida moderada

Domingo
Descanso

Quarta semana
Segunda-feira
60 minutos de corrida moderada

Terça-feira
50 minutos de corrida leve

Quarta-feira
5 tiros de 5 minutos + 5 tiros de 3 minutos + 1 minuto de corrida leve (recuperação), repetida após cada tiro. Total: 50 minutos

Quinta-feira
30 minutos de corrida leve

Sexta-feira
50 minutos de corrida leve

Sábado
60 minutos de corrida
moderada

Domingo
Descanso

A intensidade do treino

• Corrida leve: você consegue conversar.
• Corrida rápida: muita dificuldade para conversar.
• Tiro: você corre no limite e não consegue conversar.

Dica
Use tênis adequado para corrida, pois ele ajuda a prevenir torções e lesões. Tenha pelo menos dois pares, utilizando-os em dias alternados.

Treino 2 – Para quem corre, mas ainda não chegou lá

Primeira semana
Segunda-feira
10 tiros de 1 minuto + 1 minuto de recucuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro + 20 minutos de caminhada rápida + 10 minutos de corrida moderada. Total: 50 minutos

Terça-feira
Descanso

Quarta-feira
25 minutos de corrida leve + 8 tiros de 2 minutos + 1 minuto de recuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro. Total: 49 minutos

Quinta-feira
40 minutos de caminhada rápida

Sexta-feira
Descanso

Sábado
25 minutos de caminhada rápida + 30 minutos de corrida leve. Total: 55 minutos

Domingo
Descanso

Segunda semana
Segunda-feira
6 tiros de 3 minutos + 1 minuto de recuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro + 30 minutos de corrida leve. Total: 54 minutos

Terça-feira
40 minutos de caminhada rápida

Quarta-feira
20 minutos de corrida leve + 5 tiros de 5 minutos + 2 minuto de recuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro. Total: 55 minutos

Quinta-feira
50 minutos de caminhada leve

Sexta-feira
Descanso

Sábado
10 minutos de caminhada rápida + 40 minutos de corrida moderada. Total: 50 minutos

Domingo
Descanso

Terceira semana
Segunda-feira
10 tiros de 1 minuto + 1 minuto de recuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro + 30 minutos de corrida leve. Total: 50 minutos

Terça-feira
50 minutos de caminhada rápida

Quarta-feira
15 minutos de caminhada rápida + 35 minutos de corrida moderada. Total: 50 minutos

Quinta-feira
40 minutos de caminhada rápida + 10 minutos de corrida leve. Total: 50 minutos

Sexta-feira
Descanso

Sábado
10 minutos de caminhada rápida + 40 min de corrida moderada. Total: 50 minutos

Domingo
Descanso

Quarta semana
Segunda-feira
10 tiros de 3 minutos + 2 minuto de recuperação com caminhada ou trote depois de cada tiro + 10 minutos de corrida leve. Total: 60 minutos

Terça-feira
20 minutos de corrida leve + 30 minutos de caminhada rápida. Total: 50 minutos

Quarta-feira
40 minutos de corrida leve

Quinta-feira
30 minutos de caminhada rápida + 30 minutos de corrida moderada. Total: 60 minutos

Sexta-feira
Descanso

Sábado
60 minutos de corrida leve

Domingo
Descanso

A intensidade do treino
• Caminhada leve: sem muito esforço.
• Caminhada rápida: conversa sem dificuldade.
• Corrida leve: você consegue conversar.
• Corrida moderada: mais dificuldade para conversar.
• Corrida rápida: muita dificuldade para conversar.
• Tiro: você corre no limite e não consegue conversar.

Dica
Aqueça com 10 minutos de caminhada ou trote. E não deixe de tomar água antes e durante o percurso e no resto do dia.

Fonte: Boa Forma

A caminhada que torra mil calorias por semana

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

A caminhada nórdica nasceu como esporte de verão nos países do norte da Europa. Para não perder o ritmo do treino durante os meses sem neve, os esquiadores passaram a levar seus bastões para fazer trilhas nas montanhas. A atividade virou febre no continente e acabou de desembarcar aqui – se você mora em cidade grande, já deve ter visto alguém caminhando na rua ou no parque com os bastões.

Esses acessórios são a grande sacada do esporte. Parecidos com os utilizados no esqui, obrigam a acionarmais músculos do que na prática convencional. “Ao fazer o movimento de vaivém com os bastões, você trabalha braços (principalmente o tríceps), ombros, costas e peito, além de pernas, glúteos e abdômen, que já são recrutados na caminhada normal”, comenta a professora de educação física Cida Conti, de São Paulo, que desenvolveu uma técnica de condicionamento baseada no método e forma professores da modalidade. Com mais músculos em ação, o gasto calórico aumenta até 25%, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Brighton, na Inglaterra. Assim, se uma hora de caminhada normal queima 320 calorias, o mesmo tempo e intensidade de caminhada nórdica detona 400 calorias. “O acessório também deixa a atividade mais dinâmica, pois funciona como um impulsor, favorecendo a amplitude da passada e a velocidade do exercício”, completa Cida.

Mais fôlego, menos impacto

Além de turbinar o gasto calórico e acelerar a perda de peso, a caminhada nórdica sai na frente no
quesito capacidade aeróbica, pois eleva a frequência cardíaca 15% mais do que a prática normal. Faça o teste: ande alguns minutos sem os bastões e tire a pulsação. Em seguida, caminhe o mesmo tempo e na mesma velocidade usando os bastões e comprove os batimentos mais acelerados. Tem mais: caminhar com os acessórios permite apertar o passo e sobrecarregar menos os joelhos. “A redução acontece porque você trabalha também com os apoios dos braços, transferindo o peso do corpo a cada passada”, explica o ortopedista Fabio Ravaglia, de São Paulo, que é um dos pioneiros na prática da modalidade no Brasil. E o exercício ainda fortalece o esqueleto. Um professor da Universidade de Graz, na Áustria, conduziu um estudo para determinar os efeitos dele em portadoras de osteoporose e constatou um aumento da densidade óssea das participantes. “O impacto dos bastões com o chão vai aumentar a densidade dos ossos de braços, mãos e escápulas e fortalecê-los”, fala Fabio. As costas também agradecem. “Usados na altura certa, os bastões obrigam a caminhar com a coluna reta, o que previne dores e desvios na postura”, diz ele

Mais do que fortalecer o corpo, a ciên cia comprovou que a caminhada nórdica faz bem para as emoções. Um grupo de pesquisadores da Universidade de Wisconsin- La Crosse, nos Estados Unidos, comparou o desempenho de três grupos de voluntários: um de sedentários, um de praticantes de caminhada nórdica e outro de caminhada normal. Após doze semanas de testes, a turma que andou com a ajuda dos bastões apresentou uma diminuição significativa no quadro de depressão, raiva e outras perturbações do humor. As explicações para essa melhora estão ligadas à satisfação
pessoal em aprender uma nova atividade e ao exercício em contato com a natureza.

Outro estudo, finlandês, concluiu que a caminhada com bastões ajuda a amenizar dores no pescoço e nos ombros – o que reflete no humor. “A movimentação da parte superior do corpo contribui para a oxigenação, o alongamento e o relaxamento dessa musculatura, que fica tensionada principalmente em quem trabalha muito tempo sentado ou na frente do computador”, explica o preparador físico finlandês Risto Kasurinen, CEO da Gymstick International, empresa que fabrica bastões para caminhada nórdica. Ou seja: a modalidade é puro benefício!

Treino que elimina mil calorias por semana

Quer experimentar a caminhada nórdica? A professora Cida Conti montou um plano semanal para você. A cada duas semanas, acrescente 5 minutos de exercício de segunda a sexta e uma série no treino intervalado de sábado para aumentar o gasto calórico.

• Segunda: 30 min de caminhada nórdica no plano = 200 calorias

• Quarta: 30 min de caminhada nórdica com subidas e descidas leves = 250 calorias

• Sexta: 30 min de caminhada nórdica no plano = 200 calorias

• Sábado: 32 min = 10 min de caminhada nórdica no plano para aquecer + treino intervalado com 4 séries de 2 min de caminhada nórdica rápida + 1 min de caminhada nórdica lenta + 10 min de caminhada nórdica no plano para desaquecer = 350 calorias

O movimento certo

Costas: Mantenha a postura alinhada.
Braços: Com os cotovelos flexionados a 90 graus, segure um bastão em cada mão na diagonal. A empunhadura deve ficar entre o umbigo e o peito e a extremidade de baixo ligeiramente virada para trás. Dê impulso com o bastão quando ele estiver na frente do tronco.
Mãos: As mãos abrem e fecham no ritmo da caminhada, para permitir que o bastão acompanhe o balanço dos braços. Assim que a ponta emborrachada encostar o chão, feche as mãos, segurando
o bastão, e empurre-o para trás para ganhar impulso. “Quem está começando pode manter as mãos
fechadas o tempo todo”, sugere a professora.
Pés: O bastão toca o chão ao mesmo tempo em que o calcanhar da perna oposta. Depois, a pisada
passa pelo meio e para a ponta do pé e o bastão sai do chão.
Pescoço: Ombros e pescoço ficam relaxados e o olhar voltado para a frente.
Pernas: As pernas e os braços se movimentam alternadamente. “Quando der o passo com a perna direita, gire um pouco o tronco e leve o ombro esquerdo à frente. Quando e perna esquerda for para a
frente, o ombro direito também vai”, ensina Cida Conti.

Acessório sob medida

Para praticar sem se machucar, você vai precisar de um par de bastões do comprimento ideal para a sua altura. Alguns modelos têm tamanho fixo (geralmente entre 90 centímetros e 1,35 metro) e outros possuem ajuste de altura. Na hora de escolher o seu, cheque se o comprimento do bastão na vertical fica entre o umbigo e o peito. Outro jeito de descobrir é segurar o bastão com os cotovelos flexionados a 90 graus – ele deve ter a altura das mãos até o chão. Feitos de fibra de vidro ou alumínio, eles são leves – cerca de 300 gramas os dois – e resistentes a topadas e terrenos acidentados. Existem várias marcas e versões do equipamento, com preços que vão de 80 a 350 reais (o que você vê aqui, da Gymstick, pode ser encontrado na loja virtual escolafitness.com.br e custa 265 reais). Ele deve sempre ter uma empunhadura com uma espécie de luva sem dedos na extremidade de cima e, na de baixo, uma ponteira emborrachada, que pode ser retirada quando você for usar em superfícies macias, como a areia.

Fonte: Boa Forma

Top plus size monta guarda-roupa ideal, em tamanho GG

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Fluvia Lacerda é referência de bom gosto no segmento GG e dá dicas especialíssimas para mulheres com manequim acima de 44

Já ouviu falar na Gisele Bündchen plus size?
O nome dela é Fluvia Lacerda, top brasileira do segmento GG que brilha no exterior e, atualmente se divide entre o apartamento de Nova York e o de sua cidade natal, Roraima. Muito bem resolvida com suas “curvas consistentes”, como ela mesma define, Fluvia é referência de moda e bom gosto – que ela foi buscar nos Estados Unidos e está trazendo para o Brasil com sua nova coleção De onde eu vim, La Mafê by Fluvia Lacerda. Aproveitamos o coquetel de lançamento dos modelitos, que aconteceu nesta segunda-feira (12.11), para ouvir as dicas especialíssimas da modelo para asmulheres com manequim acima de 44.

* Fuja das peças de malha. Elas esquentam e marcam demais. Aposte em peças de tecido leve, como seda e chiffon. Atualmente as transparências são minhas preferidas. Adoro combiná-las com blusas coloridas por baixo.

* É sempre bom ter um blazer para compor o visual. Ele te permite usar e abusar de um vestido mais justo sem perder a elegância. E nada de só investir no preto. Deixe os tons mais discretos para as peças de baixo e opte por blazers coloridos, listrados, floridos e o que mais te agradar.

* Cuidado com os comprimentos. As saias devem estar sempre na linha do joelho, de preferência um dedinho acima, para que não te engorde mais e não fique subindo conforme você anda.

* Um cinto sempre cai bem quando usado logo abaixo dos seios, mas evite qualquer faixa na região da cintura se não quiser parecer um pouquinho maior.
* Peça coringa: Jeans de lavagem escura e caimento correto – sem ser justo ou largo demais. Aliás, é importante ressaltar que justo é diferente de agarrado, nenhuma parte do corpo pode estar “pulando” quando você veste uma peça, se estiver assim é muito deselegante!

* O mais importante é você estar se sentindo bem com você mesma, se aceitar do jeito que você é e não deixar que outras pessoas influenciem sua vida pessoal. Isso vai te fazer usar um biquíni no verão, por exemplo, fugir de todos os clichês do guarda-roupa da mulher plus size e ser feliz. Essa dica, também é da Gabi Gregg, dona do blog sucesso gabifresh e amiga da Fluvia.

Fonte: Revista Glamour