Quer emagrecer? Coma em casa!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Trocar o restaurante pela comida caseira coloca o controle da dieta nas suas mãos

Almoçar e jantar na rua são privilégios de quem já aprendeu a se controlar. Do contrário, eles podem atrapalhar — e muito! — o seu programa de emagrecimento. Ao comer em casa você economiza em dinheiro e em calorias! Isso porque, em casa, é você quem comanda os ingredientes e as quantidades que vão ao prato.

A seguir, como essa simples decisão pode tornar as suas refeições mais saborosas e a sua barriguinha, mais enxuta. Ah, em tempo: vale, sim, aprontar a marmita pelo bem da dieta!

1. Você pode fazer o cardápio da semana ao preparar o menu com antecedência, fica mais fácil escolher os alimentos mais saudáveis, fugindo da temível batatinha frita que só falta pedir para entrar no seu prato.
Além disso, você só leva o que estiver na sua lista de compras e foge da tentação de um chocolate ou bolachinha doce. Mas cuidado! Nada de petiscar muito ou comer um pãozinho enquanto estiver cozinhando.

2. Em casa, você cozinha com pouco óleo – As gorduras são o grande vilão de qualquer regime, você sabia que cada grama de óleo tem nove calorias? Comendo fora não há como controlar este item, mas em casa você pode substituir o óleo por azeite ou até mesmo água quando for grelhar. Ou melhor ainda, opte por alimentos assados ou cozidos que não necessitam de óleo. A gordura, a partir do momento em que faz tchii , perde as suas propriedades de fornecer vitaminas lipossolúveis (A,D, E, K), que são responsáveis por uma pele saudável, cabelos brilhantes, pela absorção do cálcio-prevenção da osteoporose e coagulação sanguínea.

3. Dá para combinar os alimentos de acordo com a pirâmide a Pirâmide Alimentar é um ótimo guia para perder ou manter o peso sem comprometer a saúde, porque divide todos os alimentos em cinco grupos e ensina a proporção de cada um a ser consumida em nossa dieta, ajudando a selecionar adequadamente os alimentos. Como precisamos de alguns nutrientes em maior quantidade do que outros, é importante consumir mais alimentos dos grupos da base da pirâmide e restringir os dos grupos do topo. Mas atenção: juntos eles compõem uma alimentação balanceada, portanto não despreze nenhum deles! Veja a imagem da pirâmide e anote as porções sugeridas para cada grupo:

Grupo 1 Carboidratos: representa de 6 a 11 porções diárias
Grupo 2 – Verduras e Legumes: representa de 3 a 5 porções diárias
Grupo 3 Frutas: representa de 2 a 4 porções diárias
Grupo 4 – Leites e Derivados: representa de 2 a 3 porções diárias
Grupo 5 – Carnes e Proteína: representa 2 a 3 porções diárias
Grupos 6 Leguminosas: representa 1 porção diária
Grupo 7 e 8 – Óleos, Gorduras e Doces: usar com moderação.

4. O controle do sal está em suas mãos – Além de promover doenças cardíacas e de pressão, o sal retém líquidos, deixando você inchada e piorando bastante a odiada celulite. Uma dica: diminuir o sal na preparação dos pratos não é sinônimo de comida sem gosto!
Use as ervas e temperos como aliados: são excelentes para variar o gosto dos alimentos, e ainda deixam um cheirinho delicioso no ar.Basta variar as ervas adicionadas como estragão, orégano, sálvia, alecrim, tomilho, manjericão, salsinha e cebolinha.

5. Deixe alimentos pré-cozidos para facilitar o dia-a-dia
Se, às vezes, bate aquela preguiça de cozinhar todos os dias, não desanime! Facilite seu dia-a-dia deixando os alimentos pré-preparados. Por exemplo, quando for fazer o arroz, faça uma quantia maior para os outros dias. Faça sopa e congele em potinhos, cozinhe os brócolis e refogue apenas no dia que for usá-lo. São maneiras de agilizar o seu trabalho na cozinha sem ter que recorrer ao delivery de pizza.

6. Aprenda como grelhar sem óleo
Tempere o bife / frango com sal e alho ou de acordo com a sua preferência. Esquente uma frigideira antiaderente, ou use grelhas transversais, e pingue um pouco de água até que ela borbulhe como o óleo e frite a carne. Vá pingando água sempre que notar que está secando demais e faça pequenos cortes no bife/frango pra saber se já está no ponto. Demora um pouco mais, mas fica saboroso da mesma maneira. No final do preparo, coloque o óleo ou o azeite em pequena porção para aumentar o sabor e fornecer vitaminas, além de lubrificar os intestinos, prevenindo a constipação.

7. Não esqueça a higiene
Comer em casa, traz mais uma vantagem: podemos cuidar melhor dos processos de higiene durante o preparo da comida. Veja como:
Prefira tábuas plásticas às de madeira. Esta recomendação se aplica também à famosa colher de pau.
Para cada etapa do preparo, um utensílio específico. Não cozinhe todos os pratos com a mesma colher.
Lave as mãos e o antebraço antes de começar a cozinhar.
Muita atenção com maioneses, pratos com carnes ou com muitos ingredientes diferentes (tipo farofas) sem refrigeração, pois são mais propensos a contaminações.
Saiba que a sua geladeira tem uma ordem a ser respeitada! Na prateleira superior, devem ficar os pratos preparados, como pudins, gelatinas (sempre cobertos com papel alumínio), as sobras de comida (armazenadas em potes plásticos tampados), e produtos como margarinas, geléias, iogurtes e requeijão.
Nas prateleiras intermediárias as frutas (previamente lavadas e secadas, acondicionadas em potes plásticos) e as verduras (preferencialmente lavadas e secas, pois duram mais). Por último, vêm as carnes e pratos para descongelar, sempre em cima de formas, caso escorra sangue ou água de descongelamento.

Fonte: www.minhavida.com.br

Dieta anti-stress

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Conheça os alimentos espanta estresse

A combinação entre a correria do dia-a-dia, preocupações, muitas horas extras no trabalho e pouco tempo de descanso basta para incorporar à sua rotina uma companhia mais do que indesejada: o estresse. Quando esse indesejável visitante chega, descuidar da alimentação é quase uma regra, ainda que o comportamento só torne o problema ainda mais grave . O ponto de partida para evitar o cansaço e o desânimo é uma dieta equilibrada com carboidratos, proteínas, frutas, hortaliças, leguminosas, minerais e fibras.
Um dos efeitos bastante conhecidos do estresse é a famigerada compulsão alimentar, que também pode desencadear outras doenças, como a obesidade e hipertensão.
Portanto, comer corretamente é fundamental para evitar um efeito dominó de vários males para o organismo.
É importante privilegiar um cardápio que contenha uma variedade de alimentos, pois é a associação correta entre eles que vai fornecer nutrientes na quantidade necessária para nosso corpo. A seguir, saiba quais são os principais ingredientes para mandar o extremo cansaço embora.

Coma certo
Uma alimentação adequada fará seu intestino funcionar regularmente. Esse órgão ajuda na produção de serotonina, o poderoso hormônio responsável por controlar o humor e a peça chave para varrer a fadiga da sua vida.

Bons sonhos
Uma noite bem dormida também é pré-requisito para a dieta contra o cansaço. Durante o sono, nosso corpo produz melatonina, um hormônio antioxidante, que vai remover os radicais livres do organismo e proporcionar uma sensação de bem-estar e relaxamento. Para relaxar; fique longe de estimulantes, como o café, chocolate e álcool, que inibem a produção do hormônio.

Hidrate-se
Muita água para evitar a cefaléia, um tipo bem agudo de dor-de-cabeça. A quantidade diária suficiente varia entre um litro e meio e dois litros. Somente a água consegue hidratar o organismo 100%.

Serotonina para dar e vender
Alimentos que estimulam a produção de serotonina são mais do que bem-vindos na sua dieta. Banana e abacaxi são ótimas fontes. Fuja dos alimentos com alto índice glicêmico (como o mel, pães brancos, farinhas refinadas, refrigerantes, açúcar e doces), pois darão um pique passageiro ao organismo, fazendo você sentir fome novamente rapidinho. Além disso, eles engordam e muito!

Felicidade é o que interessa
Outra fonte de bem-estar é o triptofano, um aminoácido precursor da serotonina e presente nas vitaminas do complexo B, principalmente, na vitamina B6. Você pode encontrar triptofano no lombo e presunto suíno (fique atento para os cortes magros); nos pães e cereais integrais; leite e iogurte desnatados; queijos (prefira os sem gordura); feijão, lentilha, soja, grão de bico, abacate, gérmen de trigo e levedo de cerveja. Nesse último caso, não vale ingerir a bebida alcoólica, pois o álcool impede a absorção das vitaminas do Complexo B. Só evite ingerir combinar a ingestão de alimentos ricos em cálcio com outros ricos em vitaminas do complexo B. O mineral dificulta a absorção dessas vitaminas.

Capriche na vitamina C
Alimentos ricos em vitamina C, como a acerola, mamão, goiaba, kiwi, pimentão, brocólis, salsinha, couve-flor e repolho, são cheios de ácido ascórbico, responsável por melhorar a absorção das vitaminas do complexo B e do ferro, mineral presente nas carnes vermelhas e que participa do transporte de oxigênio nas células, combatendo a indisposição. A ingestão diária recomendada de vitamina C é de 75 mg para mulheres e de 90 mg para os homens, o que equivale a 3 e 4 frutas, respectivamente. Se você for um fumante, acrescente mais 30 mg a quantidade necessária. Evite megadosagem e ingira os alimentos ou o suco da fruta logo depois de cortados ou preparados para o oxigênio do ar não oxidar a vitamina C. E atenção: só tome suplementos de vitaminas e minerais caso haja prescrição médica. Do contrário, eles podem prejudicar sua saúde, em vez de deixá-la tinindo.

Fonte: www.minhavida.com.br

Quer afinar a cintura? Então desestresse

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Cientistas descobrem como o estresse leva ao acúmulo de gordura abdominal.

Quem não gosta de uma boa desculpa para justificar o acúmulo de gordura na cintura? Na maioria dos casos, os pneuzinhos que não param de crescer nada mais são que o resultado de uma equação simples: comida demais e atividade física de menos. Quando ingerimos mais calorias do que gastamos, o excesso de energia se acumula no corpo em forma de tecido adiposo (sim, gordura). Segundo novas pesquisas, no entanto, há um outro fator que contribui para o ganho de peso: o estresse. Já ouviu desculpa melhor?

Um estudo publicado na revista Nature Medicine desvenda como o estresse faz engordar. E ainda aponta uma forma promissora de remover a gordura localizada. Os resultados surpreenderam os especialistas. Muitos acreditam que essa linha de pesquisa terá grande impacto no desenvolvimento de novos tratamentos de emagrecimento e até de cirurgias estéticas. Será que teremos em breve um novo tipo de lipoaspiração, mais eficaz e menos traumática? O que significam as descobertas para quem quer emagrecer?

Havia muito tempo os cientistas suspeitavam existir uma relação entre estresse e ganho de peso. Mas não conseguiam desvendá-la. Os pesquisadores da Universidade Georgetown, em Washington, foram além. Descobriram um mecanismo químico que pode explicar por que estressados crônicos engordam muito mais que o esperado. Gente que não ingere uma quantidade absurda de calorias e mesmo assim leva um susto toda vez que sobe numa balança.

A explicação para esse fenômeno pode estar nos neurotransmissores, hormônios que permitem a comunicação entre os diferentes tipos de neurônios. Os cientistas trabalharam com um neurotransmissor chamado NPY e o receptor ativado por ele. Essas substâncias atuam em dois tipos de células do tecido adiposo: as células de gordura propriamente ditas e as células dos vasos sanguíneos que as alimentam.

Os pesquisadores descobriram que o estresse faz o corpo liberar NPY em excesso. Isso provoca uma cascata de eventos bioquímicos cujo resultado é indisfarçável: aquela massa de gordura (ops, tecido adiposo) na cintura. O problema não é apenas estético. Vários estudos demonstram que grandes depósitos de gordura na região abdominal – aqueles que fazem o tronco adquirir a forma arredondada de uma maç㠖 elevam o risco de diabetes e doenças cardiovasculares. Daí a importância do novo estudo. “Uma grande lacuna no conhecimento sobre como o estresse crônico leva à obesidade abdominal acaba de ser preenchida”, afirma Mary F. Dallman, da Universidade da Califórnia, no editorial que acompanha a publicação do estudo. “Esses resultados terão profundas implicações no desenvolvimento de novas drogas.”

Os cientistas conseguiram criar gordura em pontos específicos do corpo dos camundongos apenas injetando NPY nessas regiões. E os efeitos negativos da gordura não demoraram a aparecer: intolerância à glicose, hipertensão, vasos sanguíneos inflamados, aumento de gordura no fígado e nos músculos.

Os pesquisadores conseguiram também remover a gordura e evitar a síndrome metabólica ao injetar uma substância capaz de bloquear a ação do receptor de NPY. “Não acreditávamos que seria possível remodelar a gordura dessa forma”, diz a líder da pesquisa, Zofia Zukowska, do Departamento de Fisiologia e Biofísica da Universidade Georgetown. “Mas os diferentes experimentos que realizamos nos últimos quatro anos comprovaram que isso é possível, pelo menos em camundongos.” Em apenas duas semanas, os depósitos de gordura foram reduzidos pela metade. “O implante fez a gordura simplesmente derreter”, afirma. Acontecerá o mesmo em humanos? A equipe acha possível. Tanto o neurotransmissor quanto o receptor relacionados à gordura são muito semelhantes em camundongos, macacos e humanos.

Mudanças na rotina que reduzam o estresse poderiam, em tese, gerar efeitos semelhantes. As situações estressantes vividas pelos animais durante o experimento também são comparáveis às enfrentadas pelos humanos no dia-a-dia. Alguns camundongos passavam uma hora num tanque de água fria durante duas semanas, o equivalente a esperar um ônibus com os pés molhados durante o inverno europeu. Outros tinham de dividir a gaiola com um macho alfa, aquele tipo de animal que fica agressivo quando invadem seu território. Mais ou menos o comportamento que se pode esperar de um chefe dominador e onipotente.

Relaxar e gozar pode ajudar a perder centímetros na cintura
O resultado da pressão crônica foi avaliado em conjunto com uma dieta normal e com uma dieta gordurosa. Os animais estressados que se alimentaram corretamente não engordaram. Os estressados submetidos à dieta hipercalórica engordaram muito mais que o esperado. Os pesquisadores concluíram que a substância NPY atua no tecido gorduroso – e não no cérebro – e que os estressados processam a comida de forma diferente.

Segundo Zofia, esse mecanismo pode ser mais bem compreendido quando pensamos nas vantagens evolutivas garantidas por ele. “Quem pudesse estocar gordura e transformá-la em energia quando precisasse lutar ou fugir tinha mais chance de sobrevivência”, diz. Hoje, a humanidade vive confortavelmente, com comida de sobra e sem ter de enfrentar feras pelo caminho. O mecanismo que leva ao acúmulo de gordura, no entanto, permanece o mesmo desde o tempo das cavernas.

As pesquisas podem representar uma contribuição para o combate da obesidade – um dos mais sérios problemas de saúde pública nos Estados Unidos e no Brasil. É possível, porém, que as primeiras aplicações dessa descoberta ocorram na área dos tratamentos cosméticos e da cirurgia plástica. “Esse estudo pode levar a uma forma segura e eficiente de eliminar gordura sem cirurgia”, diz um dos autores do trabalho, o cirurgião plástico Stephen Baker, da mesma instituição. O grupo pretende começar a testar a técnica em pacientes nos próximos dois anos. Seria uma ótima notícia para os brasileiros, que se submetem a 200 mil lipoaspirações por ano.

A estratégia pode ser útil também como um novo método de implante de gordura, e não apenas como um recurso para eliminá-la. Poderia dar origem a novos preenchedores para amenizar rugas ou tornar os lábios mais carnudos, por exemplo. Ou ainda a próteses para aumentar os seios e o bumbum. “Com injeções como as utilizadas nos ratinhos poderíamos criar implantes baratos, biocompatíveis e com efeitos totalmente previsíveis”, afirma Baker. São muitas as perspectivas. De concreto, por enquanto, fica uma recomendação preciosa para situações de estresse: relaxar e gozar pode ajudar a perder centímetros na cintura.

Fonte: Revista Época

Femproporex

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

O que é femproporex?

O femproporex é um anorexígeno, com utilização no auxílio ao combate da obesidade, da classe das anfetaminas, que atua diminuindo o apetite. Femproporex, que é utilizado em vários fórmulas para emagrecer, age no sistema nervoso central inibindo o centro da fome hipotalâmico. Juntamente com a anfepramona e dietilpropiona, o femproporex é um dos remédios mais usados no Brasil como supressor de apetite. Além desse três, há a sibutramina, que é mais nova e também mais cara.

Abusos na utilização do femproporex

O femproporex é uma das substâncias cuja utilização sofre mais abusos no Brasil. Além da utilização muitas vezes irracional e exagerada no combate à obesidade, grande parte do abuso na utilização do femproporex é devido à sua propriedade estimulante capaz de manter a pessoa acordada. Desta forma, femproporex é muito utilizado de forma irresponsável por caminhoneiros, a famosa bolinha, para manter-se acordados por várias horas trabalhando. Visando combater o consumo irresponsável do femproporex, a Anvisa obriga que os remédios anorexígenos tenham faixa preta e advertências nos rótulos, além de só poderem ser vendidos sob prescrição médica.

Contra-indicações e indicações

Femproporex é contra-indicado para quem tem distúrbios cardíacos. Além disso, Narcotical Control Board, órgão das Nações Unidas, recomenda que o femproporex, devido à sua capacidade de criar dependência, seja utilizado pelo prazo máximo de quatro meses. Desta forma, o femproporex só teria utilidade para combate da obesidade à curto prazo, tornando-se necessário que a pessoa passe por um processo de reeducação alimentar e mudanças no estilo de vida para não recuperar o peso perdido ao parar de tomá-lo. Além disso, devido aos seus efeitos colaterais em potencial, é necessário que a pessoa que esteja utilizando o femproporex tenha supervisão médica contínua. O médico ao receitar o femproporex deve avaliar o seu risco versus o benefício em relação aos perigos que a obesidade representa para a saúde do paciente.

Efeitos colaterais do femproporex

O femproporex pode ocasionar alucinações, delírios e doenças psicóticas que poderiam levar a pessoa a comportamento violento ou suicida. Femproporex também pode criar dependência. Além disso, femproporex pode causar ainda os seguintes efeitos colaterais:
* insônia,
* nervosismo,
* irritação,
* ansiedade e agitação,
* tremores,
* náuseas,
* fadiga
* depressão,
* complicações cardiovasculares,
* boca seca

Fonte: www.copacabanarunners.net

Dieta Nota 10

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Com Dieta Nota 10, o Dr. Guilherme de Azevedo Ribeiro transforma em livro o método revolucionário de controle de peso que conquistou as maiores estrelas da televisão. Atrizes como Carolina Dieckman, Daniela Escobar e Camila Morgado – modelos de uma espetacular forma física – são seguidoras fieis da Dieta Nota 10, que não priva o corpo de nenhum nutriente: é uma equilibrada composição de tudo de que o organismo necessita. Com sua vasta experiência, Dr. Guilherme compreendeu que o prazer de comer não pode jamais ser ignorado, criando assim um processo que, mesmo exigindo disciplina, não leva a qualquer tipo de proibição

Dieta ou Cirurgia?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Recomendado por cirurgiões de todo o mundo como um guia completo para quem busca informações a respeito das cirurgias de redução do estômago. Quem pode fazer? Quais são os tipos de cirurgia e suas conseqüências? Quais são as restrições dos pacientes operados? Qual a avaliação das pessoas que já se submeteram?

Antes e Depois

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Aí vai a minha foto do antes, com 120 Kg e depois da cirurgia com 55 Kg

A funcionária pública Carmen Lúcia Freitas Ricardo, de 41 anos, ficou um período relativamente curto na fila por um cirurgia bariátrica (redução de estômago). Foram 14 meses de espera. "Para mim a espera foi difícil, porque quem tem um problema de saúde sente dificuldades em esperar um dia que seja", comenta. Ela teve mais sorte e conseguiu marcar a cirurgia plástica para retirada de pele em apenas oito meses. "Tiraram pouco mais de três quilos de pele e gordura, o que não é muito. Tem gente que fica na fila e tem 15 quilos de pele para retirar", relatou. Ao todo Carmen perdeu 60 quilos e pesa hoje 75 quilos.
Hosana Ferreira Lúcio, que fez a redução e aguarda para fazer a plástica, diz que o desconforto do paciente é muito grande. "A pele que sobra incomoda e muitas vezes ocasiona feridas. Há também a questão psicológica, pois algumas pessoas que fazem essa cirurgia ficam deformadas, porque sobra muita pele e se recusam a ter qualquer tipo de convívio social, mesmo com a família". Hosana viveu uma experiência semelhante antes de fazer a cirurgia bariátrica. Ela chegou a pesar 116 quilos e 800 gramas, distribuídos em 1,60 metro. "Fiquei um ano trancada em casa por depressão. Por isso, para mim, a espera de um ano e meio, foi muito penosa. Imagino o sofrimento de pessoas que sofrem com outros problemas e também têm de entrar numa lista de espera."

Dieta de Emergência

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Quer ficar em forma para o verão que está aí??

Perca 3 quilos em 1 Semana

1o. Dia

Desjejum
1 xícara de chá com adoçante
1 fatia de pão light integral
1 fatia fina de queijo branco
1 fatia fina de peito de peru

Lanche
1 laranja

Almoço
Salada de alface, tomate e pepino,temperada com 1 colher de chá de azeite, limão e sal
3 colheres de sopa de carne moída refogada
Acelga refogada
2 colheres de sopa de arroz
2 colheres de sopa de feijão
1 taça de gelatina diet com pedaços de maçã picada

Lanche
1 barra de cereal com 90 Kcal

Jantar
Salada de rúcula, repolho roxo picado,
2 colheres de sopa de cenoura crua e ralada
3 colheres de sopa de atum em água temperado com 1 colher de chá de azeite. vinagre, mostarda e sal.
Papaia com raspas de limão

2o. dia

Desjejum
1 fatia de melão picado com 1 colher de sopa de granola ou muslie 1 colher de chá de mel

Lanche
Limonada com adoçante
1 bolacha água e sal

Almoço
Salada de agrião,tomate-cereja e 2 palmitos picados, temperada com mostarda, limão e sal
1 colher de sopa de purê de batata
1 bife grelhado pequeno (100 gr )acebolado
1 fatia de melão

Lanche
1 fatia de pão light integral
1 colher de sobremesa de requeijão light
1 copo de suco de abacaxi com hortelã e adoçante

Jantar
1 prato de sopa de legumes e verduras em pedaços com 50 g de frango desfiado
1 taça de gelatina diet de limão com raspas de limão

3o. DIA

Desjejum
1 xícara de chá com adoçante
1 pão francês sem miolo
1 fatia média de queijo branco
1 colher de chá de geléia diet

Lanche
1 iogurte light com sabor de fruta

Almoço
Salada de alface, beterraba crua ralada e pepino, temperada com 1 colher de chá de azeite, mostarda e sal.
3 colheres de sopa de estrogonoff de frango
2 colheres de sopa de arroz
2 damascos secos

Lanche
1 xícara de chá de café com leite desnatado quente, adoçante e canela

Jantar
Salada de tomate c/ orégano, vinagre e sal
3 sardinhas frescas assadas
1 colher de sopa de purê de mandioquinha
1 fatia de abacaxi

4o. DIA

Desjejum
Vitamina: 200 ml de leite desnatado, 1/2 papaia, banana-prata e Adoçante

Lanche
1 xíc. de chá verde com adoçante
1 bolacha água e sal

Almoço
Salada de rúcula, rabanete e 2 buquês de couve-flor, temperada com 1 colher de chá de azeite, vinagre e sal
1 xícara de chá de espaguete cozido c/ molho de tomate
1 coxa sem pele de frango assado
2 ameixas médias

Lanche
1 iogurte light com sabor de fruta com 1 castanha do pará picada

Jantar
Salada de alface e 1 colher de sopa de tabule, temperada com 1 colher de chá
de azeite, limão e sal.
1 pedaço (60 )de quibe assado
1 taça de gelatina diet

5o. dia

Desjejum
1 copo (200 ml) de leite desnatado com café e adoçante
1/2 papaia

Lanche
1 polenguinho light

Almoço
Salada de agrião e 3 fatias de manga com shoyu
1 colher de sopa de arroz
1 colher de sopa de farofa
2 fatias de lagarto recheado com cenoura
6 uvas

Lanche
1 barra de cereal com até 90 Kcal

Jantar
1 sanduíche:
2 fatias de pão light sem casca e com fibras
3 colheres de sopa de atum na água e sal misturado com 1 colher
de sobremesa de maionese light, tomate em rodelas e folhas de alface

6o. Dia

Desjejum
1 iogurte desnatado batido com adoçante
1 torrada com requeijão light

Lanche
1 pêra

Almoço
Salada de alface, tomate e pepino, temperada com 1 colher de chá de azeite, vinagre e sal.
4 fatias de peru assado
1 batata pequena corada
1 picolé de fruta

Lanche
1 banana-prata picada
1 colher de chá de mel

Jantar
Salada de folhas com maçã picada temperada com shoyu, 1 colher de chá de
azeite e sal
1 filé de peixe grande (200 g) grelhado com molho de alcaparras
3 colheres de sopa de milho refogado
1 laranja

7o. Dia

Escolha um dos dias anteriores e repita

Fonte :Viva mais ed 286

Autoridades calculam que cerca de 1,5 mil médicos sem especialização atuam como cirurgiões plásticos no Brasil

Tornar-se mais desejável para o marido era o que buscava a dona de casa R.M. M., 52 anos, quando entrou no consultório de um cirurgião plástico londrinense. A história tinha tudo para dar certo: o médico inspirava confiança e as cirurgias estéticas já eram, naquele ano, bastante comuns. O desfecho, no entanto, foi bem diferente do que ela imaginava.
Depois de se submeter a duas plásticas, uma para redução dos seios e outra para diminuir o abdômen, R. se deparou no espelho com uma mulher mutilada. Os seios ficaram assimétricos, a região pubiana foi estranhamente esticada e o umbigo se mostrou disforme. A desilusão se completou quando ela descobriu que o autor das operações mal sucedidas não era um especialista.
Apesar de ter ostentado, na época, uma placa que indicava “Cirurgia plástica” em seu consultório, o médico em questão nunca possuiu habilitação para atuar na área, como atestam os registros do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Paraná. O caso foi parar na Justiça e deu a R. mais um desgosto: o de aguardar uma sentença que, até hoje, não saiu.
A dona de casa não está sozinha na ação civil que tramita na 7 Vara Cível de Londrina. Outros cinco pacientes, sendo quatro mulheres, exigem indenização por danos causados após cirurgias plásticas feitas pelo médico. Cada uma guarda suas lembranças e sequelas. “Eu vivia chorando. Você pensa que vai ficar linda e de repente não consegue se sentir bem em roupa nenhuma”, diz L.O., 58 anos, que passou por uma lipoaspiração e uma cirurgia nos seios.
R., que afirma ter procurado vários médicos que pudessem reparar suas lesões, hoje fala com resignação. “A essa altura da vida não me arriscaria a fazer uma nova cirurgia. Estou com diabetes e, de qualquer forma, meu casamento já está arruinado”. Ela e os outros autores da ação pedem indenização de 100 vezes o valor de cada cirurgia.
No CRM, não houve nenhuma punição contra o médico, que continua exercendo a profissão.
Cálculos superficiais apontam que 1,5 mil médicos sem especialização estejam atuando como cirurgiões plásticos no Brasil, mas o número pode ser bem maior. Para o diretor regional da Sociedade Brasileira de Cirurgia plástica (SBCP) no Paraná, José Carlos Miranda, o aumento do número de profissionais que se “aventuram” nessa área acompanha o inchaço do mercado. “É uma combinação do número excessivo de escolas médicas no país com a baixa remuneração profissional”, justifica. Ele aponta o exemplo da cidade de São Paulo, onde existe um médico para cada 260 habitantes quatro vezes mais do que preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS). “A concorrência é tanta que muitos médicos resolvem invadir especialidades alheias”, acrescenta.
Para esses, o ramo da cirurgia plástica é um prato cheio. Em 2002, segundo estimativa da SBCP, foram realizadas 370 mil cirurgias do gênero no Brasil. Entre os pacientes, 70% eram mulheres e 30%, homens. Os adolescentes, até 2003, já respondiam por 15% da demanda. No topo das cirurgias mais procuradas aparece a lipoaspiração, seguida pela redução de mamas e os procedimentos cirúrgicos na face. O número de reclamações contra profissionais que atuam na área é igualmente grande. A cirurgia plástica ocupa o terceiro lugar no ranking de denúncias apuradas pelo CRM do Paraná, atrás apenas de ginecologia e obstetrícia.

Fonte: Gazeta do Povo PR