A Família

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

A problemática dos transtornos alimentares atinge 1% da população feminina entre 18 a 40 anos. Embora não seja exclusividade feminina, essa população é mais acometida que a população masculina.
Cada vez mais garotas e garotos com idade inferior a dez anos apresentam interesse por alimentação light. Muitos imitam os pais, especialmente mães na trajetória de luta contra o peso. Caminhos diversos que vão de períodos de jejum, dietas restritivas e períodos de descontrole promovem modelos inadequados que são involuntariamente seguidos. Os jovens sempre ficam com o que os adultos fazem em detrimento do que dizem.
A atenção ao comportamento alimentar cotidiano é um caminho preventivo para que as disfun ções do comportamento alimentar sejam identificadas. Preocupação demasiada com o peso, insatisfa ção na hora de comprar roupas e de vestir-se. Comparação com amigas, interesse demasiado por leituras voltadas ao tema, escolha excessivamente criteriosa dos alimentos no supermercado, recusa em alimentar-se junto à família, são sinais que sugerem disfunção alimentar. Se não modificados podem se intensificar e se transformar em patologias do comportamento alimentar.
Características de personalidade também podem ser indicativas de atenção, especialmente para a anorexia e bulimia, podendo valer também para a ortorexia. Entre essas características podemos citar comportamento hipersensível, excessivamente preocupado e cauteloso, resistente ás mudanças, e excessivo gosto pela ordem. Impulsividade, desorganização, desmotivação, comportamento extrovertido e preocupação com tendências inovadoras.
Tais traços de comportamento podem favorecer a instalação das patologias do comportamento alimentar.
A convivência pode despertar atenção para as características supracitadas, portanto, podem representar um fator privilegiado da prevenção. Procurar acompanhar o interesse dos jovens, compartilhar refeições, conhecer a turma e os assuntos que lhes interessa, minimizar cobranças em relação à conduta alimentar e a aparência, podem ser ações preventivas.
Valorizar o lazer, o convívio social, a espiritualidade, estimular o prazer por assuntos que transcendem inte resses específicos pela aparência, e desestimular o consumo excessivo, bem como cuidar precocemente da qualidade da auto-estima dos filhos, são ações profiláticas.
Por também serem vítimas das disfunções e transtornos alimentares, muitos adultos não estão prepa rados para ajudar seus filhos ou jovens com os quais se relacionam.
A exemplo de quaisquer patolo gias, a busca por auxílio profissional será tão mais eficaz quanto mais precocemente acontecer. Devemos nos despir da tendência de mini mizar os sinais de inadequação ali mentar como um capricho de adolescentes ou um problema sem maiores conseqüências que o tempo se incumbirá de curar. O tempo estará a favor da cura para os que investem em tratamento e contra aqueles que o negligenciam.

Fonte: Vida e Saúde

Distúrbios Alimentares

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Transtornos Alimentares – Sonia Tucunduva Philippi e Marle Alvarenga. Ed. Manole
www.manole.com.br
Nesta obra, as autoras, tratam de um assunto que vem gerando grande preocupação nos últimos anos, principalmente entre adolescentes. Reúnem estudos, pesquisas e informações de conceituados especilistas. A obra aborda obesidade, bulimia, anorexia e outros distúrbios de maneuira clara e fácil.

Água com equilíbrio

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Tomar água em excesso faz mal e pode levar a hiponatremia, uma doença caracterizada pela falta de sódio no sangue. As vitimas podem ate morrer. O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, analisou 488 atletas, antes e depois da Maratona de Boston, em 2002. Embora a maioria estivesse bem hidratada, verificou-se que 13% dos atletas beberam tanta água (média de três litros) que apresentavam quadro de hiponatremia, com inchaço no estômago, vomito, fadiga extrema e perda de coordenação motora. Água demais não é bom, em momento algum. “E preferível tomar pequenas doses de liquido ao longo do dia a ingerir uma grande quantidade de uma vez diz Antônio Lancha Junior, professor de nutrição da Universidade de São Paulo. O recomendado é beber líquidos no mesmo volume de calorias consumidas. Para um dieta de 1 500 calorias, um litro e meio de água. Para atletas, se a perda de peso for menor do que 2%, deve-se consumir a mesma quantidade do peso em água. Se a perda for igual ou maior do que 2%, deve-se consumir metade da quantidade de peso em água e a outra metade em isotônico.
Fonte: Veja

Sopa de legumes

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Ingredientes
3 batatas médias
1 cenoura grande
1 abobrinha pequena
100 g de vagem
2 folhas de couve
½ repolho roxo pequeno
1 cebola média
2 tomates grandes sem pele e sementes
1 pimentão
4 dentes de alho
1 colher (café) de cominho
2 tabletes de caldo de legumes
3 colheres (sopa) de óleo
1 colher (sopa) de aveia em flocos
1 maço de coentro e cebolinha ou salsinha
1 ½ litros de água
Modo de fazer
Coloque o óleo em uma panela. Leve ao fogo e adicione o caldo de legumes, o alho, a cebola picada, os tomates, o pimentão e o cominho para refogar. Acrescente as batatas cortadas em cubos, a cenoura em pedaços irregulares, a vagem picada e a couve rasgada. Adicione ½ litro de água e deixe cozinhar os legumes. Adicione a abobrinha, o repolho picado e a aveia. Ferva um litro de água e acrescente a panela até cozinhar a abobrinha e o repolho. Acrescente o coentro e a cebolinha. Desligue o fogo. Bata duas conchas da sopa pronta no liquidificador, acrescente este creme a sopa, mexa e sirva.
Rendimento: 6 porções
Calorias: 161 por porção

Contradições

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Os transtornos alimentares com seu caráter epidemiológico se acomodam no seio das sociedades consideradas desenvolvidas.
A sociedade recheada de contradições fabrica alimentação hipercalórica vendida por modelos magras, incentiva a aquisição de equipamentos facilitadores do sedentarismo como portões automáticos e televisores com controle remoto e muitos outros. e cobra como pré-requisito para o sucesso e felicidade, corpos magros, cintura 60 cm com quadris e bustos 90 cm. Medidas perfeitas que precisam ser esculpidas pelo bisturi ou pela inadequação do comportamento alimentar, regimes de fome ou alimentação completamente fora dos padrões saudáveis.
A população patologicamente preocupada com a estética corporal sofre com alterações psíquicas e distúrbios na representação da imagem corporal, que se tornam naturalmente aceitos, como uma prática daqueles que estão ocupados com sua saúde e beleza.
Nesse cenário, novos transtornos se apresentam e podem ser confundidos com exemplos de disciplina alimentar e física, como é a ortorexia nervosa e a vigorexia.

Fonte: Vida e Saúde

O que é Ortorexia?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Obsessão pela alimentação saudável.

O que é Vigorexia?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Obsessão pelo corpo perfeito.

O que é Anorexia?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Busca incansável de magreza, recuso em manter o peso normal e medo exagerado de engordar.

Truque para alisar a barriga

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Alongar o psoas — um músculo que muita gente não conhece — ajuda a deixar o abdômen lisinho. Como passamos boa parte do tempo sentadas, o músculo flexor das coxas pode encurtar. Para ganhar uma melhor postura, tente este exercício:apóie um joelho no assento da cadeira e. sem arrebitar o bumbum, pressione a pélvis para a frente. Repita com a outra perna.

Sinais de alerta

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

As atitudes que podem levar às disfunções do comportamento alimentar

Nos dias atuais, a sociedade demonstra excessiva preocupação com a estética corporal. Os padrões de beleza são cada vez mais definidos por uma parcela mínima da população formada por mulheres esbeltas, altas, elevadas ao topo, não apenas das passarelas, mas do desejo da maioria de outras mulheres.
Há não muito tempo, quando uma menina era indagada sobre a profissão que desejava ter no futuro, respostas como: enfermeira, professora, veterinária e pediatra eram comuns. Atualmente, as meninas desejam ser modelos e atrizes.
Uma pesquisa realizada no Hospital das Clínicas de São Paulo destacou que 90% das mulheres en trevistadas estavam infelizes com seu peso. Mas apenas 18% delas precisavam realmente emagrecer, de acordo com os critérios de IMC (ín dice de massa corpórea). Outras 70%, apesar de estarem dentro dos índices normais, sentiam-se ansiosas e desapontadas com a própria imagem. As mulheres pesquisadas comparam-se a modelos e atrizes.
É exatamente nesse cenário que se encontra terreno fértil para o de senvolvimento dos transtornos e disfunções alimentares. Os transtornos alimentares provocam graves alterações na conduta alimentar. Os mais importantes são a anorexia e a bulimia nervosas.
A bulimia nervosa é caracterizada por recorrentes episódios compulsivos, onde um número exagerado de calorias é consumido. Está pre sente uma sensação de descontrole do comportamento alimentar durante os episódios compulsivos. O medo de engordar é amenizado com comportamentos purgativos compensatórios como vômito auto-induzido, uso de laxantes, atividade física excessiva e dieta restritiva.
A auto-avaliação das pessoas acometidas pelo transtorno é altamente distorcida, ou seja, não confere com a realidade. A pessoa tende a se ver mais gorda do que efetivamente é.
Na anorexia nervosa, a pessoa revela uma recusa em manter-se dentro de um padrão de peso considerado normal para sua idade e estrutura corpórea, e escolhe manter-se mais magra do que o peso considerado saudável. Está presente um medo extremado de engordar, mesmo a pessoa estando bem abaixo do peso. Nas mulheres ocorre a ausência do ciclo menstrual. Os anoréxicos quase sempre são bulímicos e os bulímicos podem passar por fases de anorexia.
Outro transtorno descrito é o transtorno alimentar noturno, que retrata o comportamento das pessoas que se levantam para comer à noite. Não são conscientes do que fazem e não lembram do episódio com pulsivo ao despertar. A despeito desses “assaltos” noturnos à cozinha, a maioria dessas pessoas faz regime durante o dia.
No conjunto de transtornos mais conhecidos está também o transtorno do comer compulsivo, o binge eating disorder, que se refere às pessoas que apresentam episódios bulímicos, sem se utilizarem de métodos purgativos depois, como acontece na bulimia nervosa. No transtorno do comer compulsivo, também não há preocupação mórbida e irracional com o peso e a forma do corpo, assim como acontece na bulimia e na anorexia. As pessoas acometidas por esse transtorno são, na maioria das vezes, obesas.

Fonte: Vida e Saúde