Malhação excessiva

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Se você é daquelas que depois de uma farra gastronômica se mata na academia para compensar, fique ligada, um estudo feito na Universidade da Carolina do Norte (EUA)mostra que a prática exagerada de atividades físicas é um dos sintomas da bulimia. Na pesquisa mais da metade das 336 bulímicas se exercitavam além de três horas por dia. O motor principal do distúrbio é o medo patológico de engordar. Quem comeu um bombom a mais e passa horas na esteira pode estar com a doença. Além do quadro mais conhecido de empanturramento e vômito, a bulimia também está ligada ao excesso de malhação.
Fonte: Boa Forma- ed 237

Mitos e verdades sobre barriga chapada

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Tudo o que você precisa saber sobre a famosa “barriguinha”

Para conseguir um abdômen perfeito, tem gente que diminui o sal, bebe mais líquido, come devagar… Mas, será que tudo isso colabora para diminuir ou aumentar o volume da região? O endocrinologista Danilo Bianchini Höfling ajuda a desvendar os mitos e as verdades sobre a barriga chapada.

b>Beber muita cerveja contribui para deixar a barriguinha saliente?
Verdade: A cerveja é extremamente calórica e pode gerar ganho de peso. “Como outros alimentos com alta quantidade de calorias, ela pode contribuir para o ganho de gordura, ainda mais se você tem uma dieta hipercalórica”, explica Höfling. Mas, vale lembrar que a famosa “barriga de cerveja” não aparece devido à alta quantidade de bebida alcoólica ingerida e, sim, pelas calorias. Pessoas que têm maior tendência a acumular gordurinhas na barriga, acabam engordando mais nesta região ao beber cerveja em excesso.

Tomar bastante líquido durante o dia ajuda a perder barriga?
Mito: Apenas ingerir bastante água não promove a redução de peso e nem a perda de medidas na região do estômago. Outros líquidos ainda podem causar o efeito contrário. “Se a bebida tiver muitas calorias, como no caso dos energéticos, ela poderá contribuir para o ganho de peso e parte da gordura poderá ser depositada no abdômen”, alerta o endocrinologista.

Ingerir líquidos durante as refeições também dá barriga?
Mito: Não há risco nenhum para o corpo em beber um copo de água durante um almoço. O que contribui para aumentar a gordura localizada é ingerir líquidos muito calóricos. Por isso, verifique as informações da embalagem antes de escolher a bebida que irá acompanhar as suas refeições.

Comer muito rápido aumenta o abdômen?
Em termos: “Comer rapidamente, como no caso de compulsão alimentar, pode contribuir para o ganho de peso e, consequentemente, para o ganho de abdômen, mas não podemos falar que se trata de gordura localizada”, explica o médico. Portanto, mastigar os alimentos mais devagar pode ajudar a diminuir calorias e a perder medidas na região da barriga.

Ingerir refrigerantes e outras bebidas gaseificadas causa inchaço?
Em termos: O que pode acontecer é um aumento temporário na região abdominal pelo acúmulo de gases no intestino, provocado por esses produtos, ou seja, um inchaço momentâneo causado pelo gás presente nos refrigerantes.

Comer alimentos salgados demais dá barriga?
Em termos: “As dietas muito ricas em sal podem contribuir com o acúmulo de líquido no organismo (conhecido por edema), especialmente em pessoas predispostas”, alerta Höfling. Mas o inchaço causado pelo sal é distribuído pelo organismo e não ocorre de forma localizada.

Fonte:revistashape.uol.com.br

O que é Bulimia ?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Ingestão exagerada de comida seguida de busca de alívio através do vômito.

Não existe consenso sobre essa questão, mas a maioria dos profissionais da área acreditam que sim. A temperatura do nosso corpo e da 36,5 graus centígrados e a da piscina cerca 29. A diferença térmica na entrada e saída da água exige uma adaptação do organismo que implica um pequeno gasto calórico e pode provocar fome. Mas não justifica exageros à mesa. Se você passar a comer mais. vai engordar.

Sem dúvida. Como qualquer atividade física. existe queima calórica, definição e resistência muscular. Mas com algumas vantagens. A água por ser mas pesada do que o ar funciona como uma sobrecarga natural. exigindo mas da musculatura Além disso. vários músculos são trabalhados ao mesmo tempo. Por exemplo se você esta exercitando a perna tem que recrutar o abdômen, os glúteos e os braços para manter o equilíbrio. Outro ponto importante: a pressão da água ativa a circulação corporal. Isso ajuda a eliminar as toxinas que causam. entre outros problemas. a celulite.

Ortorexia Nervosa

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Ortorexia é o transtorno alimentar em que a pessoa tem excessiva preocupação com a qualidade da alimentação que ingere. Disciplinada, radical, não permite alteração ou substituição na maneira de realizar seu comportamento alimentar. Essa maneira extremamente zelosa de se alimentar consome tempo na preparação dos alimentos, conferência dos nutrientes e dos benefícios que determinado tipo de alimento pode promover. A origem dos alimentos também é muito importante. Por isso, o ortoréxico dificilmente come fora de casa e, se o faz, leva consigo sua alimentação “mais do que saudável”, sem abrir mão da rigidez de seus rituais alimentares.
Assim como o anoréxico e o bulímico se utiliza de métodos purgativos como chás ou laxantes para se livrar do excesso alimentar, ao comer algum alimento que está fora do que classifica como saudável, o ortoréxico pode realizar jejum para desintoxicar, O que o motiva não é o pavor de engordar como ocorre na anorexia e bulimia. Seu objetivo é “limpar-se” das impurezas que o alimento não saudável deixou em seu organismo.
O culto ao belo, a onda da geração saúde se converte em patologias que são vividas no cotidiano, como se fossem prática saudável.

Fonte: Vida e Saúde

Sintomas e Consequências

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Anorexia Nervosa
Sintomas
• Perder de 20% a 35% do peso sem causa aparente
• Medo de ganhar peso
• Fazer exercício físico exageradamente
• Ausência de pelo menos três ciclos menstruais sem gravidez
• Não sentir fome
• Viver iniciando dietas impróprias
• Preocupação excessiva com a imagem corporal
Consequências
• Perda da menstruação
• Descamação e pele seca
• Cabelos finos e quebradiços
• Unhas frágeis
• Desidratação
• Queda da temperatura corporal (hipotermia)
• Perda de massa muscular e gordura corporal
• Insônia
• Anemia
• Constipação

Bulemia Nervosa
Sintomas
• Fome exagerada
• Ataques de comilança: dois por semana, num período mínimo de três meses
• Dar preferência a alimentos super gordurosos
• Ingerir até 5 mil calorias num intervalo de duas horas
• Induzir vômitos em segredo
• Usar diuréticos e/ou laxantes
• Fazer exercícios físicos intensamente
• Jejuns sucedidos por ataques de comilança
• Preocupação excessiva com a imagem corporal
Consequências
• Cáries e erosão do esmalte dentário
• Glândulas salivares inchadas
• Lábios rachados
• Deficiência de cálcio
• Desidratação
• Sangramento retal devido ao uso de laxantes
• Inflamação do esôfago

Ortorexia
Sintomas
• Preocupação excessiva com a qualidade dos alimentos
• Comportamento alimentar rígido, radical
• Conferência obsessiva dos nutrientes e dos benefícios de um determinado tipo de alimento
• Carregar o alimento para não se arriscar ao comer fora de casa
• Jejuns freqüentes para se desintoxicar por ter comido algo que não considera saudável
Consequências
• Isolamento social
• Gasto excessivo de tempo pensando no que vai comer
• Sentimento de culpa por não cumprir seus objetivos alimentares
• Anemia
• Carência vitamínica
• Morte por inanição devido à falta de alimentos saudáveis

Compulsão alimentar
Sintomas
• Ataques de voracidade alimentar
• Obesidade
Consequências
• Obesidade

Fonte: Vida e Saúde

Em Busca da Solução

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Uma vez detectado o problema, é preciso procurar tratamento o mais cedo possível. E novamente o papel da família é fundamental, pois muitas vezes cabe a ela ver se está acontecendo algo errado com seus filhos.
É bom que se saiba que uma anoréxica dificilmente procura ajuda sozinha. Há casos de pessoas que chegam a pesar 15 quilos e não acham que estão doentes. “A grande dificuldade é que normalmente as pessoas demoram em média de 2 a 5 anos para procurar ajuda. Os pacientes não sabem que têm o problema e a família não percebe que algo está anormal. Dessa forma, a doença acaba se tornando crônica”, adverte a psiquiatra do Proata.
O momento ideal de procurar tratamento é assim que o distúrbio for detectado, em casa mesmo. O primeiro passo é consultar um psiquiatra ou psicólogo, que irá fazer o diagnóstico correto e encaminhar o paciente para um especialista da área ou um centro específico.
Porém, um empecilho é que, por enquanto, somente as principais cidades brasileiras contam com locais específicos de tratamento dos distúrbios alimentares. Em São Paulo há o Proata (Tlnifesp) e o Ambulim (HC), que atendem pacientes do país inteiro. Além destes, podem ser encontrados centros na Bahia, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul e em Belo Horizonte. Se na sua cidade não há um centro de tratamento, procure um hospital público ou marque uma consulta com um psicólogo. Seu caso será analisado e você será encaminhado para um profissional específico.
O tratamento convencional é realizado por uma equipe multidisciplinar e conta com a participação de nutricionista (que fala sobre a importância da alimentação correta), psiquiatra (que, dependendo do problema emocional do paciente pode receitar remédios como antidepressivos ou ansiolíticos), psicólogo (que fará a pessoa entender o motivo da compulsão ou porque ela deixa de comer) e um professor de educação fisica (que indica a atividade fisica adequada para cada um e faz o acompanhamento). O tratamento é longo e pode durar até três anos, Após a alta, o paciente continua com acompanhamento do psicólogo por algum tempo, garantindo a total recuperação e minimizando uma possível recaída.
Pioneiro no mundo, o Ambulim está inovando e começa a testar um tratamento em grupo para anorexia. “A literatura médica afirma que quando se coloca jovens juntas durante um tratamento, elas acabam competindo entre si pela magreza e o tratamento não surte efeito. Nós estamos estudando e queremos tentar provar o contrário, que as jovens podem sim ajudar umas às outras”, afirma o psicólogo Cristiano Nabuco.
Segundo estudos do Ambulim, após o tratamento entre anoréxicos e bulimicos, cerca de 1/3 dos pacientes conseguem se curar. Outro 1/3 melhora mas mantém o distúrbio, com algumas recaídas e no 1/3 restante, o problema torna se crônico. Em relação aos compulsivo o ambulatório observa baixo índice de recaída. O que muitas vezes acontece de uma pessoa que já teve compulsão ir a uma festa e comer demais naquele dia. Mas isso não significa uma recaida, Trata-se apenas de um “lapso”, uma vez que ela estava em um ambiente que favoreceu a compulsão e no dia seguinte tudo voltou ao normal.
Como em qualquer doença, o ideal seria a prevenção. Mas os diversos fatores que levam ao aparecimento dos distúrbios alimentares e a possível existência da predisposição genética dificultam uma atitude preventiva.
De qualquer forma, para tentar evitar a manifestação dos distúrbios o papel da família é essencial. É importante manter diálogo com os filhos ensiná-los a comer corretamente, não incentivá-los a cultuar um corpo perfeito — pelo contrário, deve-se mostrar a eles que cada um é diferente do outro e belo do seu jeito.
As escolas também podem auxiliar organizando palestras com médicos, psicólogos e professores de educação fisica para alertar os jovens sobre os riscos dos distúrbios alimentares.
Também é fundamental ter uma vida saudável, preocupar-se mais com a saúde (e não tanto com a estética) e fazer algum exercício fisico que dê prazer. No caso da compulsão, é preciso aprender a lidar melhor com os problemas do dia-a-dia, seja procurando ajuda psicológica quando necessário ou fazendo uma atividade que traga mais tranqüilidade e equilíbrio, como caminhadas e natação. Acima de tudo, é preciso ter um relação saudável com a alimenta ção e com o corpo e aprender a se gostar do jeito que se é. Com as qualidades e também com as imperfeiçóes.

Fonte: Vida e Saúde

Sim. Qualquer atividade física permite perda calórica. Se praticar a hidroginástica — que e altamente aeróbica e queima de 260 a 450 calorias em 45 minutos — e consumir um porcentual de calorias menor do que gasta. certamente perdera gordura. Para quem esta acima do peso o trabalho aeróbico na água e muito interessante porque o impacto e bem menor o que reduz o risco de lesões.

Bulemia Nervosa

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

A palavra bulimia tem origem no grego, bous limus, que significa “fome de boi”. O problema consiste em episódios de compulsão ao comer, ingerindo, num curto intervalo de tempo, uma quantidade de alimento superior ao que as pessoas normais conseguem. O vômito vem em seguida.
O principal sentimento da pessoa bulímica é o de perda de controle sobre a alimentação. Para o diagnóstico de bulimia, bastam duas crises semanais, durante três meses.
Após um episódio compulsivo, a pessoa passa a ter comportamentos compensatórios, ou seja, para evitar o ganho de peso, o bulímico ingere laxantes e diuréticos e provoca o vômito. “O vômito auto-induzido é muito comum, sendo encontrado em até 95% dos pacientes. Com o tempo, aproximadamente 20% deles obtêm o controle voluntário do reflexo do vômito por meio de contração abdominal, não mais necessitando forçá-lo mecanicamente”, diz a nutricionista. Os bulímicos apresentam características como exercícios físicos excessivos, dietas rigorosas (hipocalóricas), abuso de cafeína e uso de hormônios tireoideanos, drogas anorexigenas e, eventualmente, cocaína.

Fonte: Vida e Sáude