Rotina de Dieta

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Durante o dia você tem chances preciosas de comer menos, usar o metabolismo a seu favor e escapar das tentações.

Aqui estão algumas dicas:

Água

Você já sabe que precisamos de oito a dez copos todo dia. O truque é quando tomar. Anote: dois copos, uma hora antes de qualquer refeição. “Nosso corpo nem sempre identifica bem a sede. “Por conta disso, às vezes confundimos a falta de hidratação com fome e exageramos na comida.

Não pule o café da manhã

Quem toma um café da manhã nutritivo corre menos risco de comer feito uma leoa nas outras refeições. Uma fruta, uma xícara de café com leite desnatado e uma fatia de pão integral com presunto magro ou peito de peru é uma ótima pedida para começar bem o dia.

Faça mais refeições

Se você dividir o que come em cinco refeições por dia acelera o metabolismo entre 5 e 15%. Imagine se você ainda maneirar nas porções, é emagrecimento na certa, porque você evita os picos de fome.

Coma frutas diariamente

As frutas frescas são cheias de vitaminas, minerais e fibras, por isso alimentam e enganam a fome. Coma de três a quatro porções por dia. Se detesta frutas, comece com as desidratadas, que são bem docinhas.

Chocolate limitado

Esse é o tipo de alimento que na medida certa faz bem. A todo momento surgem estudos comprovando que o polifenol, substância presente no chocolate, protege o coração, reduz o colesterol ruim, combate o envelhecimento precoce. Em excesso, vira pneuzinho. Tática: em vez de traçar uma barra inteira, coma metade mais uma maçã ou uma fatia de mamão (para não cair em tentação e devorar a outra metade depois, divida o chocolate com uma amiga). Barrinhas de cereais e frutas secas cobertas com chocolate também matam o desejo e têm inúmeras calorias a menos.

Mastigue a Comida

20 mastigadas no mínimo, a sensação de saciedade tem a ver com o tempo que levamos para comer. A partir de 20 minutos de mastigação, o cérebro recebe mensagens de que o corpo está satisfeito. Se terminar a refeição antes desse tempo, vai querer repetir o prato. Tente mastigar cerca de 20 vezes cada porção.

Jante mais cedo

Durante o sono, nosso metabolismo desacelera. Portanto, quanto mais próximo da hora de dormir for o jantar, maior o risco de armazenar gorduras. O ideal é comer pelo menos duas horas antes de ir para a cama

Fonte: Boa Forma Edição 210 e

Armadilhas para engordar

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Como evitar as quatro maiores ciladas na hora de comer

Controlando o que come e se exercitando regularmente, Cindy Guzman, de 35 anos, perdeu recentemente 7 quilos. Ela gostaria de perder outros 9, mas diz que seu emprego, na área de recursos humanos, impediu seu progresso. “Já que sempre estamos tendo reuniões do departamento ou sessões de treinamento, temos à disposição rosquinhas recheadas e croissants pela manhã e doces cheios de gordura à tarde”, diz Guzman. Além disso, há as comemorações. Na semana passada, tivemos três aniversários no escritório. Portanto, comemos bolo em três dias deferentes. Há outros tipos de eventos e todos envolvem comida.” Conhece essa história? Se você está tentando perder peso, se seu escritório pode ser um campo minado, cheio de armadilhas alimentares. O pior é que o local de não é o único obstáculo no caminho. Para não engordar tem que vencer restaurantes tentadores, férias relaxantes e a parentes bem-intencionados sem falar na vitória sobre a mente do “tudo ou nada” no que diz respeito a perder peso. Pode não ser fácil, mas vale a pena. Depois que você vencer os quatro maiores perigos na área da alimentação, aumentará muito as chances de ter sucesso com seus novos e melhores hábitos alimentares.

Armadilha número 1: O escritório

Se o seu emprego prejudica você em termos alimentares, saiba que você não é o único a sofrer prejuízo. Parte do problema é que muitos locais de trabalho têm uma copa para o lanche, onde as pessoas guardam guloseimas.
“As pessoas aprendem que sempre há comida por lá, e acabam adquirindo estes maus hábitos”, diz a doutora Kristine Clark, diretora de nutrição esportiva da Penn State University. Quando estão senta das em sua escrivaninha e sentem tédio, sempre podem ir à copa e se distrair com um pouco de comida.”
“A proximidade do alimento é um grande estímulo para a ingestão de comida”

Soluções para a comida no escritório

Evite a tentação. Cindy descobriu que era impossível ignorar a vasilha de doces que estava sempre em cima da mesa de seu chefe. Toda vez que ela entrava, saia comendo um docinho ou dois. Finalmente, pediu que o chefe colocasse a vasilha fora de sua vista.
Anote. Você pode não ter idéia de quantas calorias extras está consumindo no trabalho. Registre tudo o que você come no escritório — um bíscoitinho aqui, um punhadinho de pipoca ali — durante uma semana. Depois que você souber o que e quanto está comendo, poderá mudar seus hábitos. Mexa-se. Muitas vezes, temos a tendência de beliscar quando estamos ansiosos ou enfadados. Em vez de ir comer na copa, suba e desça a escada de seu escritório por cinco minutos. Isso queimará algumas calorias e aumentará sua energia.
Beba. A sede às vezes se disfarça de fome. Tenha sempre uma garrafa ou copo de água em sua mesa e vá tomando aos goles durante o dia.
Condescenda (com moderação). Você não precisa ser um mártir. Se os seus colegas de trabalho lhe trouxerem uma guloseima especial de aniversário, coma com eles, mas um pedaço pequeno.

Armadilha número 2: Férias e Comer fora

Imagine as férias de seus sonhos. É um cruzeiro marítimo com mesas de comida suntuosas? Ou uma viagem de carro com a família cheia de aventuras, paisagens e visitas aos restaurantes para provar as comidas típicas? De qualquer forma, as férias podem causar um grande estrago dietético. Comer fora freqüentemente
pode também fazer você ganhar alguns quilos.Quando você come junto com outras pessoas, tende a comer mais. Pesquisas revelam que as pessoas que comem
com amigos consomem 50% a mais do que quando comem as refeições sozinhas! Na verdade, um estudo, no qual 153 adultos rastrearam sua ingestão calórica durante um período de sete dias,revelou que, quando estavam em grupos grandes, comeram 75% amais do que quando estavam sozi nhos. Nas férias, alerta Clark, é fácil ingerir até 1500 calorias a mais por dia. Isso significa que você pode voltar para casa levando como lembrança um revestimento mais acolchoado.

Soluções para as férias e comer fora

Escolha sabiamente Quando for comer fora num novo restaurante, procure no cardápio as opções com poucas calorias. Evite frituras e molhos cremosos. Suavize as coisas Em vez de tentar perder mais peso durante as férias, concentre-se em mantê-lo. Isso significa tirar tempo para atividade física, especialmente se você planejou uma viagem preguiçosa. Trinta minutos de caminhada queimarão cerca de 200 calorias e auxiliarão seu metabolismo.
Evite lanches rápidos Passe longe do McDonald’s e similares. Leve com você nas viagens de carro um recipiente de isopor (ou bolsa térmica). Abasteça-o com água, frutas, ingredientes naturais para sanduíches e outras alternativas saudáveis para substituir os doces, chips e hambúrgueres. Vá ao supermercado ou mercearia e encha seu recipiente. Você terá melhores opções de alimentos a preços mais baixos.
Não faça mudanças radicais Tente conservar seus hábitos alimentares normais. Tome, por exemplo, suco de frutas e coma pão no café da manhã.
Faça seu cérebro funcionar. Se você for tentada a extrapolar, pense numa roupa que quer usar durante a viagem. Imagine a roupa caindo bem em você e sentindo bem dentro dela.
Preste atenção à quantidade Muitas porções de restaurantes são duas a três vezes maiores do que o normal. As pesquisas provam que, quanto mais comida é colocada na sua frente, mais você come. Divida a porção com alguém ou leve para casa o que sobrar.

Armadilha número 3: Sabotadores amigáveis

O sabotador talvez seja seu marido, que diz estar cansado de ouvir você reclamar sobre perder aqueles últimos cinco quilos. Ou seus amigos,
que adoram se reunir para saborear comida mexicana ou pizza. Para Vicki O’Reilly, são seus filhos. Àntes de eu ter filhos, nunca tinha comidas inúteis em casa; por isso, nunca as comia”, diz a fonoaudióloga de 40 anos, cujos filhos têm 9 e 7 anos, respectivamente. Mas agora compro chips, doces e sorvetes; e já que estão aqui, eu como! É muito mais difícil comer menos, ou
vigiar o que como, quando a comida está em casa.”
Sua família talvez não seja o único empecilho que você vai encontrar. Talvez você descubra que amigas ou colegas de trabalho não apóiam seu plano de perder peso. Se você antes se unia a suas amigas na condescendência alimentar e agora está buscando um programa mais saudável, pode haver sentimentos de contrariedade ou mesmo ressentimento. Suas companheiras podem reclamar que você
já não é tão divertida, ou torcer o nariz para suas saladas cuidadosamente preparadas, tentando você a desistir e seguir a turma.

Soluções para os sabotadores

Consentre-se na diversão. Encontre outras atividades, além de comer, das quais você participar com suas amigas. Em vez de se encontrarem para um sorvete, dêem volta, vão a uma livraria, visitem um museu ou freqüentem uma aula juntas.
Tome o seu próprio partido. Se alguém está tentando forçá-la a comer, recuse de maneira educada, mas firme. Ensaie as palavras: “Não, obrigada; estou satisfeita.” Ninguém pode argumentar que você não está! Peça apoio. Solicite ajuda das pessoas mais íntimas. Se uma amiga está recla mando sobre sua dieta, diga algo como:“Sei que talvez eu não pareça tão diverti da como antes, mas isto é realmente importante para mim, e eu gostaria de contar com seu
poio.”
Reduza o estoque de sua despensa Não use seus filhos como desculpa. Compre para eles alguma guloseima que não seja atrativa para você. Estoque bastante frutas frescas para que você as tenha à mão quando estiver à procura de alguma guloseima.
Planeje de antemão Se você vai sair com amigas ou familiares, decida antes o que vai comer. Assim, será menos provável que você sucumba às tentações altamente calóricas do cardápio.
Suavize as coisas As amigas podem encarar seus hábitos alimentares
mais saudáveis como uma crítica sem palavras aos hábitos alimentares delas. Mantenha atitude positiva sobre a decisão que você tomou, mas não imponha seus pontos de vista a outros, nem tente convencer todo mundo a adotar o plano
que você adotou.

Armadilha número 4:postura mental do tudo ou nada

Você já se empanturrou de suas comidas preferidas no dia anterior ao início de uma dieta? Ou transgrediu a dieta e depois pensou: “Já que o dano está feito, agora vou até o fim”? Se a resposta for sim, você foi vítima da mentalidade do “tudo ou nada”. As pesquisas mostram que as mulheres que pensam dessa forma têm mais probabilidade de comer em demasia quando acham que quebraram a dieta.
Mudar essa postura mental e adotar uma abordagem mais moderada pode ajudar você a alcançar uma perda de peso duradoura. “Ninguém consegue ser bom o tempo todo”, explica Rolis. “Se — você espera isso de si mesma, realmente está se destinando ao fracasso, porque há ocasiões em que você deseja comer o que tem vontade, e há ocasiões em que precisa de guloseimas.”

Soluções para a postura mesntal do tudo ou nada

Pense diferente Mudar seus hábitos de alimentação requer tempo e prática. Escolha uma frase na qual se concentrar quando as coisas ficam difíceis, como: “progresso, não perfeição”; “mereço comer de maneira saudável”; “cada dia é uma oportunidade para comer melhor”; “cada pequeno passo contribui para o todo”; “eu valho este esforço”.
Inclua seus alimentos favoritos<b/> Em vez de estar “de” dieta ou “fora da” dieta, procure comer nutritivamente, mas de maneira que aprecie a comida e continue a fazê-lo. Allynn Wilkinson, de 39 anos, recente mente perdeu 22 quilos, mas ainda ocasionalmente se permite comer um pacote de batatas fritas ou uma barra de chocolate. Se você se privar de suas comidas pre feridas, se sentirá miserável e terá mais probabilidade de se empanturrar em certas ocasiões ou abandonar totalmente seu plano de alimentação saudável.
Acrescente alimentos<b/> Mude seu enfoque alimentar. Em vez de se concentrar em restringir os alimentos ricos em calorias, expanda sua alimentação de forma a incluir uma variedade maior de frutas e verduras. Faça um esforço consciente para comer frutas e verduras, e naturalmente acabará consumindo menos calorias. Procure comer pelo menos cinco porções ao dia destes alimentos.
Honre sua fome Quebre o padrão mental que diz que sentir fome é um bom sinal. Se você passar tempo demais sem comer, se sentirá cansada e irritada, aumentando as chances de exagerar na quantidade, quando finalmente for comer. Alimente seu corpo num esquema regular.
Livre-se da balança Pesar-se toda manhã mantém você concentrada em seu peso em vez de num regime alimentar mais saudável. Se você deseja controlar seu progresso limite- se a se pesar uma a duas vezes por mês.
Conserve-se no trilho Um deslize na dieta não significa que seus esforços para perder peso fracassaram. “Sempre digo que todas as horas do dia são uma oportunidade para se corrigir um procedimenh, errado ou negativo,” diz Clark. Mesmo que você tenha comido duas fatias de bolo no café da manhã, ainda pode optar por um almoço e um jantar leves. Ao não permitir que pequenas vezes tirem você do trilo,você conseguirá fazer com que seus hábitos mais saudáveis de alimentação tenham efeito duradouro.

Fonte: Vida e Saúde

Anorexia aos 40 anos

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Doença não é exclusiva de jovens e adolescente

Os centros médicos para transtornos alimentares recebem, nos EUA, cada vez mais pessoas com 30, 40 e até 50 anos. Alguns criam até programas especiais para esses pacientes. São na maioria, mulheres com bulimia e anorexia, doenças normalmente associadas a adolescentes. Elas se dividem principalemtne em três grupos: as que tem transtorno há anos, mas nunca procuraram tratatmento, as que voltaram a ter devido a um estresse, como divórcio, ou as que adquiriram o hábito recentemente(essa são minoria).

Fonte: Revista Semana

Os Sete eliminadores da Celulite

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Pelo menos um de cada tipo deve entrar no seu cardápio todos os dias.

1. Lectina
Reforça a parede das células impedindo que percam nutrientes e água.
São encontradas no amendoim, batata, couve flor, espinafre,laranja, leite de soja, ovo, tofu, tomate, lectina de soja em pó.

2. Glicosamina
Funciona com reparador da pele e dá firmeza aos tecidos que a estuturam.
Estão no camarão com casca e suplemento de glicosamina.

3.Ácidos Graxos Essenciais
Atrai a água e a retém dentro das células garantindo hidratação, São encontrados no azeite de oliva, óleo de linhaça, sementes (linhaça, gergelim e girassol), castanhas ( amêndoas, caju, do pará, nozes e pistache), peixes de água fria( atum, salmão, sardinha)

4. Aminoácidos/proteína
Estimulam a produção de colágeno e elastina, substâncias que dão firmeza á pele.
Tem na carne magra, frango, peixe, queijo magro, ovos, leite, soja, folhas verde escuras, nozes , proteínas de soja em pó ou isolada.

5. Antioxidantes
Impedem que os radicais livres fragilizem o tecido, abrindo caminho para celulite. São encontrado na cebola, cenoura, chá verde, frutas citricas(laranja, limão , mexerica) frutas vermelhas(amora, framboesa, morango, kiwi, acerola, mamão, manga) germem de trigo, romã, uvas vermelha e roxa vinho tinto.

6. Antiflamatórios
Amenizam o efeito ds processos inflamatórios que enfraquecem as defesas das células, tornando-as vitimas fáceis. Tem no alface, azeite de oliva, brócolis, espinafre, ervilha fresca ou seca, feijão branco, e jalo, peixe de água fria, tofu, sementes (linhaça e girassol) nozes,e castanhas, frutas frescas e secas, especialmente uva passa

7. Vitamínas B e minerais
Ajudam as células da pele a absorver melhor os nutrientes. Estão no abacate, aveia, banana, beterraba, brócolis, cogumelo, laranja, melancia, leite de soja, leite e queijo com baixo teor de gordura, ovo, peixe, semente de girassol e grãos integrais.

Vilões da Celulite

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Se quiser evitar a Celulite evitre estes alimentos

Carne vermelha gorda, aves e peixes fritos, embutidos e defumados(salsicha, linguiça, bacon), leite e iogurtes integrais, açucar branco, doces industrializados, refrigerantes normal ou light, suco de fruta adoçado, frutas secas e frescas adoçadas, geléia e gelatina com açucar, vegetais fritos, grão e cereais refinados( arroz branco, massa , pão, e biscoito feios com farinha branca), óleo, manteiga, margarina, salgadinhos, bolos tortas que contenham gordura trans, queijos amarelos e molhos prontos que contenham açucar.

Livros anticelulite

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

A Solução para a Celulite— Um Programa Médico para Prevenir e Eliminar Nódulos. Salíências, Estrias e Muito Mais, lançado no Brasil Pela Prestígio Editorial. Autor – dermatologista norte-americano Howard Murad.

Não fique parado no inverno

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Lá se foi o outono, lá vem o inverno, e com ele o frio. As academias que estavam cheias desde janeiro, preparam-se para passar uma fase de baixa procura, com um público seleto. Um público que gosta da prática e que não se importa com a baixa temperatura. Os parques e praças que também estavam bem cheios, reduzem o numero de freqüentadores sensivelmente. Bastou que alguns dias frios dessem “as caras” para que, até mesmo, o tradicional bate-bola noturno com os amigos contabilizasse alguns desfalques. No entanto, os especialistas recomendam: é bom dar um drible nessa “preguicite” para não dar adeus à massa muscular adquirida na prática acumulada de exercícios físicos. Isto é, não importa quanto tempo a pessoa é praticante ou qual é o esporte que pratica. “Se parar por muitos dias, ela perde todo o condicionamento físico e pode voltar a ser considerada sedentária”, diz o médico Osmar de Oliveira, especializado em medicina do esporte. Os especialistas resumem: o exercício para o corpo é como o óleo para uma engrenagem, garante um funcionamento melhor. Outra conseqüência que acompanha o preguiçoso é o aumento de peso acompanhado do eterno emagrece/engorda. No frio, o risco de engordar aumenta, já que, com a queda de temperatura, os alimentos calóricos são mais consumidos. Em muitos casos, a solução pode ser a introdução de uma dieta balanceada que não obrigue a um aumento na carga de exercícios. Mesmos benefícios Para Pedro Bortz, professor de educação física, o importante para a saúde é o hábito, freqüente e contínuo da atividade física. Ele recomenda às pessoas que tenham baixa tolerância ao frio que busquem os horários mais quentes do dia para se exercitar. “O importante é não interromper a prática rotineira só porque o inverno chegou”, salienta. O professor ressalta que não faz mal praticar atividades físicas no frio, e os benefícios são praticamente os mesmos das épocas mais quentes do ano. São elas, a redução ou manutenção do peso corporal, melhora da captação de oxigênio pelas células, prevenção da osteoporose, auxílio no tratamento da hipertensão, aumento da força e da resistência muscular, melhora da captação da glicose pelas células (o que significa um bom auxilio para o tratamento de diabetes), entre outros. “No inverno os músculos ficam mais enrijecidos, por isso, o alongamento se torna essencial”, alerta Bortz. Além da proteção do corpo com roupas quentes para ajudar a obter um melhor resultado no aquecimento, a prática de atividades físicas no inverno também requer alguns cuidados típicos das recomendações de verão: hidratação e proteção solar eficiente. Osmar Oliveira orienta, também, para que os praticantes de certas modalidades mais indicadas para estações mais quentes, como natação e corridas, optem por modalidades mais fáceis de suportar no inverno, como freqüentar academias ou praticar esportes de salão. “O importante para a saúde é não ficar parado”, frisa. Quem decidiu, apesar das baixas temperaturas, iniciar uma prática esportiva no inverno, não deve se esquecer de passar pela avaliação médica de um especialista. “Principalmente aqueles que desconhecem a sua real condição”, avisa Oliveira. De acordo com o especialista, a procura por um profissional capacitado tem o objetivo não de proibir a prática de exercícios, e, sim, orientar de forma adequada sobre qual tipo de exercício é o mais apropriado a cada pessoa. Além disso, pessoas que abandonaram os exercícios há muito tempo devem recomeçar a prática gradativamente. Pequenos cuidados >> Faça o aquecimento com alongamentos gerais, mas dê preferência àqueles grupos musculares que estarão diretamente envolvidos com seu exercício. Alongar ao final também é importante. >> Inicie num ritmo mais lento ou mais ameno e vá acelerando ou aumentando a intensidade aos poucos, até atingir o seu ritmo mais forte. >> Procure usar roupas quentes, mas adequadas para a prática. >> Em caso de atividades aquáticas, natação, hidroginástica, procure sempre dirigir-se ao recinto da piscina com um roupão ou toalha. >> Consulte um médico antes de iniciar um trabalho físico. >> Não faça exercícios sem orientação. >> Praticar ao menos trinta minutos diários de qualquer atividade física já traz muitos benefícios.

Dieta dos Grupos sanguíneos

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Descubra quais os alimentos que fazem bem para o seu organismo

Cada organismo está preparado para receber determinados tipos de alimentos. Quando assimila o que não é adequado, o organismo reage com alergias e doenças. A afirmação é do médico americano Peter D’Adamo, que concluiu que de acordo com o tipo sanguíneo de cada pessoa, é possível saber quais os alimentos que fazem
bem ou não para o organismo. Adequando às descobertas do americano para os hábitos brasileiros, o médico Sérgio Augusto Teixeira escreveu o livro
A dieta que está no sangue. Nele, foi elaborada uma lista com os alimentos ideais para cada tipo sanguíneo.
Embora os exames sempre apontem a existência de apenas quatro possíveis tipos de sangue: A, B, AB e O, há quem afirme que existam mais dois seriam o AO e o BO. A explicação para isso seria o fato da criança possuir 50% das características da mãe e os outros 50% do pai. Nesse caso, por exemplo, ainda que o filho herde do pai o tipo O, ele também vai possufr traços do grupo sanguíneo da mãe, que sendo do tipo A, a criança seria, portanto, AO.

Tipo O

Indicados
Carne vermelha magra, (exceto de porco) fígado, coração, bacalhau, merluza, salmão, sardinha, azeite de oliva, ervilha, abóbora, acelga, alface, alho, batata-doce, beterraba, brócolís, cebola, chicória, couve, espinafre, quiabo, salsa, chá de hortelã e gengibre.

Coma Pouco
Aves em geral, ovos, atum, leite de cabra e derivados, feijão, grão-de-bico, vagem, arroz branco e integral, abobrinha, agrião, azeitona verde, cenoura, pepino, pimentão, rabanete, tomate, abacaxi, banana, caqui, goiaba, kiwi, limão, maçã, mamão, manga, melão, melancia, pêra, pêssego, uvas, açúcar branco e açúcar mascavo, alho, cebolinha, chocolate, hortelã, louro, mel, mostarda e molho de soja, maionese, molho inglês, cerveja, chope, vinho branco ou tinto, chá verde e de camomila.

Não Indicados
Carne de porco e derivados, carnes e peixes defumados, leite de vaca e derivados (iogurte, queijo, manteiga, etc), óleo de milho, feijão-branco, fradinho e mulatinho, lentilha, aveia, milho e derivados, farinha de trigo, azeitona preta, batata-inglesa, berinjela, repolho, couve-flor, abacate, acerola, banana-da-terra, coco, laranja, maracujá, morango, tangerina, canela, maisena, baunilha, pimenta-do-reino, ket chup, vinagres em geral, café, chá-mate, bebidas destiladas, refrigerantes em geral.

Tipo A

Indicados
Sardinha, leite de soja, azeite de oliva, amendoim, ervilha, lentilha, feijão, soja, abóbora, alface, alho, brócolis, cebola, cenoura, chicória, espinafre, quiabo, salsa, couve, abacaxi, ameixa, figo, limão, gengibre, mostarda, café descafeinado, vinho tinto, chá verde e de camomila

Coma Pouco
Frango, peito de peru, ovo, atum, castanhas, semente de girassol, ervilha, feijão, arroz integral, aveia, milho, abóbora, agrião, azeitona verde, couve-flor, milho, pepino, rabanete, abacate, caqui, carambola, framboesa, goiaba, kiwi, maçã, melão, morango, pêra, pêssego, uva, açúcar branco e mascavo, baunilha, canela, cebolinha, chocolate, cravo-da-índia, curry, erva-doce, hortelã, manjericão, mel, menta, noz-moscada, orégano, picles em geral, pimentão, sal, salsa, vinho branco e chá de hortelã

Não Indicados
Carne de porco e derivados, carnes defumadas, leite de vaca e derivados (iogurte, manteiga), óleo de milho, castanha-do-pará, feijão-branco, fradinho e mulatinho, lentilha, aveia, milho e derivados, farinha de trigo, azeitona preta, batata-inglesa, berinjela, couve-flor, repolho, abacate, acerola, banana-da-terra, coco, laranja, maracujá, morango, tangerina, canela, maisena, baunilha, pimenta-do-reino, ketchup, vinagrem, café, chá-mate, bebidas destiladas, refrigerantes em geral.

Tipo AO

Indicados
Sardinha, leite de soja e derivados, azeite de oliva, ervilha, feijão, abóbora, acelga, alface, alho, azeitona verde, batata-doce, brócolis, cebola, cenoura, chicória, espinafre, quiabo, salsa, chá de hortelã ou de camomila e chá verde e vinho tinto.

Coma Pouco
Carne bovina magra, fígado, coração de frango, peru, ovo, atum, leite de cabra, e derivados, amendoim, amêndoa, avelã, castanha, feijão, arroz de todos os tipos, abobrinha, agrião, broto de bambu, pepino, pimentão, rabanete, caqui, carambola, framboesa, goiaba, kiwi, limão, maçã, melão, pêra, pêssego, romã, tâmara, uva, açúcar branco e mascavo, chocolate, cravo, erva-doce, hortelã, manjericão, mel, menta, orégano, água gasosa, café, e vinho branco.

Não Indicados
Carne de porco e derivados, aves em geral (exceto frango e peru), leite e queijo de vaca e derivados , castanha, óleo de milho, feijão-branco, fradinho e mulatinho, grão-de-bico, lentilha, aveia, milho, trigo e derivados, azeitona preta, batata-inglesa, berinjela, pimentão, repolho, couve-flor, tomate, abacate, banana, laranja, mamão, manga, melão, morango, maracujá, tangerina, maisena, maionese, molho inglês, vinagre, baunilha, chá preto, bebidas destiladas (vodca, cachaça ou uísque,) cerveja, chope, refrigerantes.

Tipo B

Indicados
Sardinha, leite de cabra e derivados, azeite de oliva, feijão, arroz branco e integral, aveia integral, batata-doce, berinjela, beterraba, brócolis, cenoura, couve, couve-flor, pimentas em geral, salsa, abacaxi, ameixa, banana, mamão, uva, hortelã, água mineral sem gás.

Coma Pouco
Carne bovina magra, fígado, peru, ovo, leite de soja, leite de vaca desnatado e derivados, ervilha, vagem, abóbora, alface, acelga, agrião, alho, batata-inglesa, cebola, espinafre, pepino, rabanete, banana, figo, goiaba, kiwi, laranja lima, limão, maçã, manga, melão, morango, pêra, pêssego, tangerina, açúcar, cebolinha, chocolate, erva-doce, hortelã, mel, orégano, pimenta-malagueta, pimentão, molho de soja, vinagre, maionese, molho inglês, picles, chá de camomila ou chá verde e preto, café, cerveja, vinhos branco e tinto.

Não Indicados
Carne de porco e derivados, bacon, lingüiça, presunto, frango e aves em geral (exceto peru), leite de vaca integral, oléo de milho, girassol, castanha de caju, ervilha em grão, lentilha, grão-de-bico, feijão-azuki, rajado e preto, milho e derivados, trigo e derivados, abóbora-moranga, azeitonas em geral, tomate, abacate, caqui, coco, romã, canela, gelatina, mel, pimenta-branca, da-jamaica e do-reino, ketchup, água mineral gasosa, bebidas destiladas (cachaça, vodca, uísque) e refrigerantes.

Tipo BO

Indicados
Carne bovina magra, sardinha, leite de cabra e derivados, azeite de oliva, noz, arroz branco e integral, abóbora, acelga, alho, beterraba, brócolis, cebola, cenoura, couve, escarola, chicória, espinafre, nabo, quiabo, pimentão, ameixa, banana, mamão, uva, salsa, água mineral sem gás.

Coma Pouco
Peru, ovos, atum, leite de soja, leite de vaca desnatado e derivados, óleo de arroz, castanha, feijão de soja, feijão-branco, fradinho e mulatinho, vagem, ervilha em grão, aveia, agrião, espinafre, pepino, berinjela, abacaxi, amora, cereja, damasco, goiaba, kiwi, limão, figo, maçã, manga, melão, melancia, pêra, pêssego, açúcar, alho, cebolinha, chocolate, cravo, hortelã, manjericão, mel, molho de soja, maionese, molho inglês, cerveja, chope, vinhos branco e tinto e chá de camomila.

Não Indicados
Carne de porco e derivados, aves em gerla (exceto peru), carnes e peixes defumados, leite de vaca integral e derivados(iogurte, queijo, manteiga, etc), óleo de milho, castanha de caju, semente de girassol, feijão-rajado e preto, lentilha, grão de bico, trigo e derivados, azeitona, repolho, rabanete, tomate, abacate, banana, caqui, coco, morango, maracujá, laranja, melão, tangerina, canela, maisena, baunilha, pimenta-do-reino, ketchup, vinagre, café, bebidas destiladas (cachaça, vodca, uísque), refrigerante e chá preto.

Tipo AB

Indicados
Sardinha, leite de cabra e derivados, azeite de oliva, amendoim, soja, ervilha, feijão, vagem, arroz branco e integral, aveia, alho, beringela, beterraba, couve, couve-flor, pepino, salsa, abacaxi, kiwi, limão, uva, alho, chá de camomila, café, fígado, ovos, leite desnatado e derivados.

Coma Pouco
Abóbora, agrião, alface, alho poró, azeitona verde, batata, cebola, cebolinha, cenoura, cogumelo, espinafre, quiabo, repolho, tomate, amora, damasco, maçã, mamão, melão, morango, nectarina, pêra, pêssego, tâmara, tangerina, açúcar branco e mascavo, baunilha, canela, chocolate, cravo, hortelã, louro, mel, menta, noz-moscada, pimentão, sal, molho de soja, maionese, chá de hortelã, água mineral, cerveja, chope, vinho branco e tinto.

Não Indicados
Carne bovina e de porco, aves em geral(exceto peru), carnes secas e defumadas, leite de vaca integral, manteiga, queijo parmesão e provolone, óleo de girassol ou de milho, semente de abóbora e de girassol, feijão preto e roxinho, grão-de-bico, milho e derivados, azeitona preta, pimentas em gerla, rabanete, abacate, banana, caqui, carambola, goiaba, laranja, manga, gelatina, maisena, molho inglês, vinagre, ketchup, chá mamte, bebidas destiladas e refrigerantes.

Massas

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

1 porção pequena de Espaghete ao alho e oléo 230 g – 580 cal
1 porção média de Espaghete a bolonhesa 300 g – 570 cal

Stress Engorda !

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Acredite ou não, nem toda gordura surge da mesma forma. Segundo Elissa Epel, uma pesquisadora do Departamento de Psicologia da Saúde da Universidade da Califórnia.
em São Francisco, há dois tipos básicos de gordura: a gordura visceral, que é acumulada no abdômen e que forma uma camada em torno dos órgãos internos, e a gordura periférica, que é armazenada logo abaixo da pele.
Embora a gordura periférica possa não parecer atrativa (ela é responsável por aquelas protuberâncias nos quadris e coxas), representa menos risco para a saúde do que a gordura visceral. O porquê disso não está claro, mas estudos mostram que pessoas com gordura visceral também têm um risco maior de sofrer de doenças cardíacas, diabetes, colesterol alto e outras doenças. Sua herança genética e tipo físico afetarão a qualidade e a quantidade de gordura que você terá, mas outros fatores influenciam também.
Epel descobriu que as mulheres tendem a armazenar mais gordura na região mediana do corpo quando estão sob tensão. A razão parece ser que, quando o corpo está estressado, produz índices mais altos de hormônios relacionados ao estresse, como cortisol e adrenalina.
“Anatomicamente, essa gordura visceral é muito sensível aos hormônios”, diz Epel. “Ela tem mais receptores para hormônios como o cortisol. Se você tem muito cortisol circulando no corpo, isso ativa as trilhas de armazenamento de gordura e estimula seu corpo a armazenar em maior grau esse tipo de gordura.” O resultado é que, se você está constantemente sob tensão e seu corpo está produzindo níveis acima do normal de hormônios ligados ao estresse, você pode engrossar no meio do corpo, porque gordura visceral está sendo depositada no abdômen.
Perceba que, se uma pessoa está acima do peso, provavelmente vai armazenar gordura extra no corpo todo, inclusive no abdômen. Se uma mulher é razoavelmente magra, porém, e tem muita gordura abdominal, precisa prestar mais atenção à causa disso. Se for geneticamente predisposta a armazenar gordura nessa área (se a sua mãe tinha barriga, ela provavelmente também terá), mas o estresse também pode ser um fator contribuinte.
“Esta é uma razão a mais para prestar atenção ao estresse em nossa vida em termos de controle de peso”, explica Epel. “Não é apenas uma simples fórmula de calorias ingeridas e calorias gastas. O ambiente hormonal pode influenciar o local onde o corpo coloca a gordura.”
ESTR ESSE E SONO
A reação de “fugir ou lutar” se refere à maneira como o corpo é mobilizado em conseqüência do estresse. Como o sistema cardíaco, o sistema respiratório e o sistema nervoso central são acelerados e se preparam para a ação, requerem mais combustível. “Nesse sentido, o corpo é como uma máquina”, diz Hall. “Ele precisa de combustível,que, no caso dos seres humanos, é o alimento. E o melhor alimento a ser ingerido durante uma reação de emergência é o que é mais rapidamente convertido em açúcar no sangue: os carboidratos.”
Infelizmente, os fatores estressantes de hoje geralmente não requerem combustível extra para serem combatidos. Portanto, aquelas calorias extras são armazenadas sob a forma de gordura. O problema com o estresse crônico é que ele pode provocar esse tipo de reação continuamente, e levar a um impulso constante para comer. “É aí que está o problema”, diz Hall. “Ainda sentimos aquele desejo voraz de ingerir comida, o que não teria sido problema na época em que passávamos muitas horas por dia envolvidos em atividades físicas.
Contudo, o estresse também pode suprimir nosso apetite. Isso ocorre por causa do Fator Libera- dor da Corticotrofina (sigla em inglês, CRF), que é uma das primeiras substâncias químicas produzidas em resposta ao estresse. O CRF inicialmente inibe o apetite e está associado com o sentimento de ansiedade.
Se você de repente sentir a necessidade de comer, mas souber que é resultado do estresse e não de uma fome física, Hall sugere fazer algumas flexões ou subir um lance de escadas. Isso produzirá pequenas quantidades de CRF que ajudarão a diminuir o apetite. Comer algo de baixo valor calórico (por exemplo, frutas ou verduras) também pode permitir que você reaja ao impulso sem quebrar a dieta. Em vez de se punir por ter comido, passe um pouco mais de tempo na academia. “Reconheça que em ocasiões de estresse você está reagindo a sugestões biológicas naturais que terão uma tendência de fazer você comer um pouco mais, diz Hall.
A FOME DO CÉREBRO
Você recorre a massas ou pizza quando está se sentindo ansioso ou deprimido? Talvez esteja com falta de serotonina, uma substância química do cérebro que tem sido associada à depressão. A falta de serotonina também pode desencadear a vontade de ingerir carboidratos. “Quando você ingere carboidratos, isso na verdade pode resultar numa restauração do nível de serotonina ao normal”, diz Hall. “É em essência uma forma de automedicação.”
Contudo, esta abordagem está longe de ser segura. Se o seu corpo não conseguir converter os carboidratos em serotonina, você pode comer o tanto de massas que quiser que irá mudar apenas o perfil de seu corpo, não o perfil de sua mente. Mas, se você parece nunca ingerir carboidratos o suficiente, é melhor verificar o assunto com seu médico.“É importante que as pessoas compreendam que seu desejo por certos tipos de alimentos nem sempre é despertado pela busca do prazer”, diz Hall. ‘Às vezes, há algo no cérebro lhe dizendo que é preciso consertar um desequilíbrio químico.”
Parte da razão pela qual o estresse afeta os hábitos de comer pode ser a necessidade de consolo, diz Joy Bauer, nutricionista e autora do livro The 90/10 Weight—Loss Plan (O Plano 90/10 de Perda de Peso). “Quando se está estressado, as inibições ficam reduzidas. As pessoas não têm a mesma força de vontade para fazer escolhas inteligentes de alimentação”, explica Bauer. “Elas também tendem a usar o alimento para se anestesiarem e como uma forma de se sentirem bem. As pessoas tendem a associar o estresse com o serem boazinhas para si mesmas, e então interpretam isso como significando que de vem tomar uma série de liberdades com a alimentação, que normal mente não tomariam.”
Por isso, podem comer alimentos ricos em amido ou açúcar, como bolos, ou em gordura e sal, como bata tas fritas industrializadas. As pessoas sob pressão também procuram consolo em alimentos como sorvetes, doces e pizza. “Os alimentos usados como consolo tendem a ser aqueles que lembram a nossa infância, quando o peso, as calorias e a saúde não eram uma questão importante”, diz Bauer. “São alimentos livres de inquietações e alimentos que geralmente não nos permiti mos comer sem sentir culpa.” O problema é que eles freqüentemente têm alto conteúdo de calorias e gorduras, e comemos uma quantidade maior do que deveríamos.
As mulheres muitas vezes usam a comida como distração ou para superar sentimentos de solidão, de pressão ou ansiedade. “Elas falam sobre o sentimento de vazio e usam a comida para preenchê-lo”, co menta Bauer. “Por exemplo, pessoas que estão em casa sozinhas no sábado à noite e que estão deprimi das, entediadas ou solitárias, tomam meio litro de sorvete. Elas usam a comida para anestesiar as emoções com as quais não desejam ou não sabem lidar.”
O QUE FAZER
Como se sentir no controle? Cuidando de si mesma e fazendo coisas como comer de maneira saudável. Tire tempo para se exercitar e mantenha alto seu nível de energia, em
vez de tentar fugir dos problemas através da comida. “Ninguém se sente no controle quando, durante uma situação de estresse, está comendo o terceiro pacote de bolacha recheada”, acrescenta Bauer. “Quando você come corretamente e se exercita, isso libera sua mente para lidar melhor com o estresse. Ela fica mais clara pelo fato de você não estar se empanturrando continuamente de comida inútil e ali mentos gordurosos.”
Lembre-se também de que restringir severamente as calorias só aumenta a tensão em que você se encontra.”Você não pode comer de mais e não pode comer de menos. Você precisa investir em algum tipo de equilíbrio.”
Se você está se sentindo ansiosa, sobrecarregada ou tensa, procure outras opções, em vez de comer. Escreva ou telefone para uma amiga. Faça anotações em seu diário. Passe alguns minutos lendo uma passagem favorita da Bíblia ou fazendo orações. Tome um banho ou saia para dar uma voltinha. Ou coloque alguma música favorita e se concentre nela.
Se você notou que está ganhando peso, examine seu estilo de vida para ver se é ele o culpado. Talvez você só precise cuidar mais de sua dieta ou exercitar-se mais. Ou talvez seja hora de dar uma desacelerada. Lembre-se de que, embora o estresse realmente possa fazer você engordar, não precisa ser assim. Desenvolva maneiras efetivas de li dar com o estresse.