Acomplia, da sanofi-aventis, pode ter efeitos colaterais psiquiátricos.Falta de cuidado dos pacientes explica, em parte, reações adversas.

A companhia farmacêutica sanofi-aventis decidiu acatar recomendação da Agência de medicamentos da Europa (EMEA) e suspender a venda do rimonabanto (nome comercial: Acomplia) em todo o mundo, inclusive no Brasil. O rimonabanto chegou ao mercado mundial em junho de 2006, liberado pela mesma agência européia, após resultados animadores em estudos clínicos de tratamento da obesidade.

O medicamento, nos testes realizados com milhares de pacientes, foi capaz de auxiliar na redução de peso, melhorar os níveis de gordura no sangue e facilitar o tratamento de diabetes. O que preocupava os médicos, o fabricante e as agências reguladoras era o fato de que o uso do rimonabanto, durante as pesquisas, mostrou que existia uma limitação de sua utilidade em pacientes com problemas psiquiátricos, notadamente depressão.

Qualquer medicamento lançado no mercado deve ser acompanhado após o início de sua comercialização, pois seus resultados no mundo real podem ser diferentes dos obtidos nos grupos controlados dos trabalhos científicos. Essa preocupação vêm se tornando cada vez maior depois que novas drogas tiveram de ser retiradas de circulação pela constatação de conseqüências inesperadas do seu uso.

A recomendação da agência européia para a suspensão da venda do Acomplia veio justamente depois da revisão dos dados coletados, não só do uso da substância no mundo todo como também de novos estudos que ainda estão em andamento. Especialistas em doenças cardiovasculares, diabetes e doenças psiquiátricas convocados pelo EMEA para rever todos os dados disponíveis sobre o rimonabanto chegaram a uma conclusão. A droga pode auxiliar o redução de peso em pacientes obesos ou com sobrepeso, porém sua utilização pelos médicos e pacientes não vem seguindo as recomendações estabelecidas e pode aumentar o risco de problemas graves.

Os dados de utilização mostraram que os pacientes usam o medicamento por um tempo menor do que o indicado e que pacientes com problemas psiquiátricos ou em risco de desenvolvê-los estão usando o remédio, embora exista uma clara recomendação de isso não seja feito.

CELULITE: O MAIOR INCÔMODO FEMININO

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Com certeza, o pior pesadelo estético das mulheres é a celulite. Só de ouvir a palavra, as moiçolas só faltam arrancar os cabelos de tanto pensar em como eliminar o mal, comum na região das coxas, nádegas e abdômen.
Mas antes do tratamento, temos que entender que a celulite, conhecida também como lipodistrofia ginóide, é um processo inflamatório do tecido celular subcutâneo ou gordurinhas e buraquinhos indesejáveis que tanto incomodam a grande maioria das garotas.

O dermatologista, Cesar Cuono*, afirma que a mulher não precisa ser gorda para ter celulite e não, necessariamente, quando se engorda, ela aparece. "Os cuidados devem ser diários para que a aparência casca de laranja seja amenizada", completa o médico.

A celulite é desencadeada pelo acúmulo de gordura, associada com a retenção líquida e, conseqüentemente, o aumento da pressão nos adipócitos, que são as células de gordura, o que leva à compressão dos vasos sanguíneos e linfáticos, agravando ainda mais o problema. Ou seja, quanto menos cuidados se tem, mais ela aumenta, como um ciclo vicioso.

Um quadro de origem genética, a celulite está diretamente relacionada aos hormônios femininos que piora com stress, roupas apertadas, gravidez, uso de anticoncepcionais, por exemplo.

Existem quatro graus de celulite, que vão desde aquele que não é visível a não ser que se aperte a região, até à formação de nódulos e depressões que doem.

Importante é entender que por se tratar de uma tendência genética, a mulher conviverá com ela eternamente e, portanto, a necessidade de tratar diariamente da região e da alimentação.

"Reeducação alimentar é a primeira ação, pois manter o peso é fundamental. Se exercitar diariamente ou o mais freqüente possível. Dê preferência pelas atividades aeróbicas e anaeróbicas. Não é novidade, mas essencial para a saúde e beleza, é ingerir de dois a três litros de água por dia", ensina o dermatologista.

Mas não se anime, pois os hábitos mencionados são apenas o início do caminho para amenizar o incômodo. Tratamentos estéticos são outras armas na guerra contra a celulite.

Há vários métodos de tratamento e o melhor resultado aparece com a associação do maior número possível deles. O mais comum e preferido é a drenagem linfática (manual ou com aparelhos, tipo Endermologia), que por meio de manobras estimula-se a eliminação do excesso de líquido retido pelo corpo. "Quando se tem o grau três ou quatro, o ideal é fazer a massagem de duas a três vezes por semana. Quando a melhora acontece, a mulher pode optar por sessões semanais", aconselha Dr. Cuono.

Estimulação elétrica, ultra-som, infiltração de substâncias (mesoterapia) são outras opções que podem ser usadas.

A pessoa tem que entender que não existe milagre e os tratamentos só terão resultados se paralelamente, tiver uma boa alimentação e ingestão de água, no mínimo.

Um truque para potencializar os resultados é a aplicação diária, com massagens, de cremes anticelulites. "A indústria cosmética evolui e há no mercado inúmeras marcas que amenizam a lipodistrofia"

* Dr. Cesar Cuono é dermatologista formado pela USP – Universidade de São Paulo – com 27 anos de experiência na área.

Sem dieta milagrosa para o verão

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Mês de outubro marca o início da corrida para conseguir um corpo enxuto até o verão. Será que dá tempo de aumentar os músculos e perder uns quilos?
Sim, mas sem exagero. As mulheres tentam secar até 10 quilos em dois meses. Os homens apelam para os anabolizantes. Nada disso resolve. E ainda põe em risco a saúde. Nenhum regime ou esteróide é capaz de transformar o corpo em tão pouco tempo. O jeito é não pensar no verão apenas quando ele está prestes a começar.
Há riscos de se encarar uma dieta radical por dois meses para perder 10 quilos até dezembro? – Denise Saad, 27 anos – São Paulo, SP
Sim. Perder 10 quilos em dois meses não significa ter emagrecido 10 quilos. Emagrecer é diminuir a quantidade absoluta de gordura. No emagrecimento rápido, a pessoa perde, além de gordura, massa muscular e líquidos. É possível que uma pessoa que tenha 25% de taxa de gordura no corpo e pese 71 quilos passe a pesar 65 quilos em apenas dois meses de regime. Mas pode continuar com os mesmos 25% de taxa de gordura. Ela perdeu um pouco de gordura, mas perdeu também massa muscular e água. O corpo sem a nutrição correta acaba estocando gordura para se proteger. Enquanto isso, para produzir a própria energia, consome músculos e água. Além disso, as dietas radicais provocam redução do ritmo metabólico. Ao retomar o padrão alimentar anterior à dieta, a pessoa recupera o peso perdido e pode até ganhar quilos extras. Assim, ganhará ainda mais gordura. Sua taxa de gordura passará a 30%, 35%. A dica é procurar um nutricionista e traçar um plano alimentar saudável e duradouro, que inclua atividades físicas em sua rotina.
Estou sem fazer atividade física desde março, mas com a chegada do verão comecei a malhar forte. O uso de esteróides por apenas um mês pode prejudicar minha saúde? – Marcelo Godonho, 31 anos – Rio de Janeiro, RJ
Sim. Meu conselho é que você não busque esse tipo de paliativo porque a chance de ter problemas de saúde aumenta muito. Os esteróides podem causar problemas no fígado, nos rins e até levar a algum tipo de câncer. Além disso, ao parar de usar esses produtos, você vai ter muita dificuldade em manter a massa muscular que adquiriu e provavelmente vai voltar a ter o corpo de antes. Não tenha tanta pressa: a musculação bem orientada e regular, somada a uma boa alimentação, garante um corpo forte e saudável por muito mais tempo.
Comecei a me exercitar no mês passado, e os resultados estão lentos. Qual é o melhor suplemento que devo tomar para os resultados aparecerem mais depressa? – Roberto Bento da Silva, 44 anos – Aracaju, SE
Ficar “seco” e com corpo definido é o que praticamente todo mundo quer. A questão é como conseguir isso. Suplemento alimentar só deve ser prescrito por um nutricionista ou um médico. Infelizmente, vendedores de lojas e professores de Educação Física fazem isso. Procure um nutricionista e veja se vale a pena o uso desses medicamentos. Na maioria das vezes, apenas uma reeducação alimentar é suficiente.

Marcio Atalla é professor de Educação Física e comanda o programa semanal BemStar no canal GNT. Envie suas perguntas pelo site www.epoca.com.br
ou pelo e-mail marcio.atalla@edglobo.com.br

Ficar sem comer engorda!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Malhar em jejum ou passar mais de quatro horas sem comer engorda

Se você é do time que pensa no jejum como alternativa poderosa contra os quilos extras, saiba que está embarcando numa roubada. Deixar de comer compromete uma série de funções vitais e não ajuda em nada na dieta. Isso porque o jejum prejudica o metabolismo (conjunto de transformações que as substâncias químicas do alimento sofrem em nosso organismo). E são essas reações que permitem a célula transformar os alimentos ingeridos em energia.

A quantidade de calorias ou energia gasta durante o repouso (usada pelo corpo para fazer para funcionar órgãos como coração, cérebro, pulmões e intestino) é chamado de metabolismo basal. O metabolismo basal pode variar de acordo com a composição corporal de cada pessoa, assim como a idade, sexo e prática de atividades físicas. Mas o jejum prolongado tende a diminuir esse metabolismo, interferindo no gasto de energia.

Para entender melhor as conseqüência de ficar muito tempo sem comer, confira a lista de mitos abaixo. O intervalo ideal entre uma refeição e outra, explica a relação entre estômago vazio e mau hálito e alerta para os perigos de ficar, diariamente, sem tomar café-da-manhã.

1. Fazendo exercícios em jejum, emagreço mais rápido.
Falso. Durante a execução dos exercícios físicos, se você estiver em jejum, seu nível de glicose no sangue pode estar muito baixo (hipoglicemia). Então, seu organismo vai passar a consumir proteínas. Você perde massa magra (músculos), diminui seu metabolismo e acaba ficando mais fraco. A performance cai e o desgaste físico e emocional aumenta. Em condições normais, com alimentação equilibrada, o organismo consegue manter este equilíbrio interno. No entanto, a o jejum prolongado pode comprometer esse balanço energético.

2. Ficar muito tempo sem comer deixa o metabolismo mais lento.
Verdade. Depois de muito tempo sem comer, o metabolismo passa a funcionar mais lentamente, como tentativa de economizar energia. Como conseqüência, na próxima refeição, a tendência é acumular mais gordura. O ideal é não ficar sem comer por mais de 4 horas, distribuindo as refeições durante o dia.

3. O jejum acelera os resultados da dieta.
Falso. As pessoas normalmente relacionam a dieta como algo muito restritivo, acreditando erroneamente que a reeducação alimentar proibirá o consumo de certos alimentos. Embora uma boa alimentação possa ter certas limitações, não há proibições absolutas.

4. Ficar em jejum causa dor de cabeça.
Verdade. O cérebro não tem qualquer reserva energética e por isso, independente do estado nutricional é necessário que haja um suprimento de glicose, provenientes principalmente de alimentos fontes de carboidratos para este tecido. Situações de hipoglicemia, por exemplo, onde ocorre uma redução dos níveis de glicose sanguínea, podem acarretar perturbações no funcionamento do sistema nervoso central, que vão desde cefaléia, incoordenação de fala e motora, até alterações no eletroencefalograma e coma.

5. Ficar três horas sem comer não prejudica o organismo.
Verdade. Períodos curtos de jejum (de uma a três horas sem comer) não acarretam problemas. Esse é o tempo médio que o organismo leva para realizar a digestão e conseqüente absorção dos alimentos. Mas pessoas com tendência a hipoglicemia devem se alimentar a cada duas horas. Do contrário, podem surgir sintomas como visão turva, cefaléias, enjôos, vômitos, tremores.

6. Pular o café-da-manhã diminui a capacidade raciocínio.
Verdade. Jejuns superiores a quatro horas podem resultar em lentidão dos movimentos, raciocínio confuso, perda de memória, dores musculares e de cabeça, tontura e até mesmo desmaios em alguns casos mais graves. Quem persiste em tornar o almoço a primeira refeição do dia, está expondo o organismo a mais de doze horas em jejum. Esse estado metabólico também pode favorecer consideravelmente o aparecimento de infecções já que o organismo está fraco devido a falta de nutrientes.

7. Ficar em jejum durante o dia causa mau hálito
Verdade. A presença do mau hálito, decorrente da acidose metabólica (excesso de acidez no sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de carboidratos) é decorrente a jejuns superiores a seis horas. Esta característica é bem comum em pacientes com diabetes. Os mecanismos de compensação realizados pelo organismo em situações de acidose é uma respiração mais profunda e rápida: o organismo tenta livrar o sangue do excesso de ácido reduzindo a quantidade de dióxido de carbono. Os rins tentam excretam mais ácido na urina. Quando estes dois mecanismos não conseguem estabelecer a homeostase e o corpo continua a produzir ácido em demasia, instala-se um quadro de acidose grave e, em última instância, o coma.

Fonte: Minha Vida

Mande as estrias embora

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Elas figuram reluzentes na lista dos principais pesadelos da mulheres e surgem porque as fibras elásticas da pele literalmente arrebentam. A predisposição genética é o fator de maior risco para o estiramento abrupto do tecido. O crescimento e ganho de peso em excesso são responsáveis por desencadear o processo , explica Mônica Fiszbaum, da Soecidade Brasileira de Dermatologia.
A luta contra essa inimiga é antiga, mas o surgimento de tratamentos cada vez mais modernos são capazes de minimizar a aparência da listrinha. Sim, elas já podem ser amenizadas, entretanto ainda não é possível eliminá-las. Ao lado das cicatrizes da acne, as estrias são as duas patologias que o dermatologista não consegue reverter totalmente , afirma Mônica, que também é membro da Academia Americana de Dermatologia.

O sucesso do tratamento vai depender do estágio da famigerada lesão. As estrias recentes são vermelhas e largas, causadas pelos vasos dilatados da inflamação. Após alguns meses, as células se acalmam e se compactam formando estrias brancas e profundas. Para atingir melhores resultados, o ideal é mesclar diferentes técnicas de regeneração.

Luz intensa pulsada
A técnica é recomendada para estrias avermelhadas. A luz emitida pelo aparelho fecha os microvasos sangüíneos liberados pela inflamação do rompimento das fibras. O laser aquece a pele e provoca a formação de colágeno, ajudando a preencher a depressão e reduzir a largura da estria. O tratamento não é doloroso, pois usa-se um creme analgésico , avalia Mônica.
Melhora: 50 a 70%
Sessões: 5 a 6, uma a cada 15 ou 30 dias.
Preço: R$ 250 a R$ 500 por sessão.

Intradermoterapia
Consiste na aplicação de substâncias na pele, como a vitamina C, para estimular a produção de colágeno. A agulha percorre o trajeto da estria ponto a ponto, ameniza a coloração e reduz um pouco a largura.
Melhora: 50%
Sessões: 6, uma a cada 15 dias Preço: R$ 150 a R$ 300 a sessão.

Peeling
O peeling é o procedimento que provoca a descamação na epiderme, fazendo com que surja uma camada mais nova e saudável. O peeling de cristal, feito com jatos de cristais de hidróxido de alumínio, associado ao peeling à base de ácido retinóico, é indicado para estrias brancas, daquelas em que é possível sentir o relevo quando se passa a mão. O método estimula a renovação celular e a produção de colágeno e elastina por esfoliação mecânica. Não provoca dor e garante 40 a 50% de correção , explica Mônica.
Melhora: 40 a 50%
Sessões: 6, uma a cada 15 dias.
Preço: R$ 100 a R$ 180 por sessão.

Carboxiterapia
Uma injeção de gás carbônico com agulha curta e fina no tecido subcutâneo. O gás entra na derme, causa vasodilatação e aumenta oxigenação local, estimulando formação de fibras elásticas.
Melhora: de 50 e 60%
Sessões: 10 a 15, 1 por semana.
Preço: R$ 100 a R$ 150, a sessão

Água para encher a pele de vitalidade

Hidratar a pele é o método mais recomendado para ajudar a prevenir o aparecimento dessa maltraçada linha. A hidratação fará com que a pele ganhe mais elasticidade e obtenha melhores condições para se esticar , avalia Mônica Fiszbaum. A dermatologista recomenda usar cremes ricos em lactato de amônia, uréia e óleo de amêndoas, que têm grande capacidade para repor água.

A vitamina E também é uma arma poderosa para fortalecer as fibras elásticas. A cada ano, recomenda-se tomar 200 mg de vitamina E uma vez por dia e durante três meses. Isso vai ajudar a revigorar o tecido , garante Mônica. A técnica só não é recomendada para pessoas com problemas no fígado.

Utilizar cosméticos como forma de suavizar as listras não é o caminho mais indicado, pois o resultado é apenas superficial. Os produtos amenizam a aparência das estrias, mas não a sua profundidade. Ao suspender o tratamento, após algum tempo, a melhora vai se dissipar , afirma a dermatologista Mônica Fiszbaum

Fonte: Minha Vida

Operação levanta bumbum

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Quando o assunto é ter um corpo perfeito, não se pode negar que uma das maiores preocupações das mulheres, principalmente das brasileiras, é deixar o bumbum sarado, empinado e sem vestígios de estrias e celulites. Aulas de ginástica localizada e aparelhos especializados no fortalecimento dos glúteos não faltam. Mas para quem vive na correria, detesta freqüentar academia ou se cansa só de pensar em se exercitar, não há motivos para desanimar. São muitas as alternativas para conquistar um bumbum durinho e evitar que sofra com os efeitos da gravidade.

Há quem recorra às clínicas de estética. Um dos tratamentos mais recomendados é a eletroestimulação.
Segundo a esteticista Cibele Camargo, essa técnica atua contraindo e relaxando o músculo da região glútea, como se fosse uma musculação. "A eletroestimulação libera correntes elétricas positivas e negativas, que têm a função de tonificar e enrijecer o bumbum", explica.
A especialista aponta ainda outra maneira de levantar os glúteos e fortalecê-los: a massofilaxia. Trata-se de uma massagem realizada por meio de diferentes movimentos que estimula o músculo e ajuda a melhorar a circulação sanguínea. O uso de técnicas com as mãos é essencial nos tratamentos estéticos, pois com elas podemos transmitir energia ao paciente e personalizar o atendimento, adequando-o às necessidades de cada um, ressalta.

Cibele recomenda um tratamento, no qual são feitas 20 sessões de eletroestimulação e outras 20 de massofilaxia. Para quem deseja obter um melhor resultado, a esteticista aconselha que o paciente se submeta às duas simultaneamente.

As técnicas, porém, são contra-indicadas para grávidas, mulheres que utilizam D.I.U., propensas a varizes, esclerose múltipla, cardíacas, hipertensas e com doenças de pele.

É sempre uma batalha resistir a esses tratamentos estéticos que exigem poucos esforços de quem se submete a eles. Mas Cibele não hesita em dizer que o ideal é deixar a preguiça de lado e combinar as sessões com a prática de exercícios voltados para o enrijecimento do glúteo, sem esquecer de adotar uma dieta equilibrada.1

21 Motivos que impedem você de emagrecer!

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Você vive de dieta, mas o ponteiro da balança parece conspirar contra você. Ele permanece estável, sem levar em consideração todo o esforço que você anda fazendo para manter a boca controlada. Antes de colocar toda a culpa em cima da balança e achar que tudo não passa de uma rixa pessoal, cheque a lista abaixo com 21 motivos que fazem você não emagrecer.

1-Esquecer de pôr fibras no cardápio.
As fibras estão relacionadas à maior saciedade. Ou seja, menos fibras é
igual a mais comida e, portanto, mais calorias. Cereais integrais, frutas, legumes e verduras respondem como boas fontes do nutriente. Provavelmente, uma alimentação carente nestes alimentos é composta por ingredientes mais calóricos, o que leva ao ganho de peso.

2- Repetir sempre o mesmo menu.
Pessoas que desejam emagrecer seguindo uma alimentação monótona
desistem mais fácil do projeto de emagrecimento , constata Roberta. Variar os tipos de alimentos, texturas e sabores é um dos segredos para perder peso com saúde.

3- Pular refeições.
Ao pular refeições, você só faz com que a fome se acumule. Fome acumulada pode significar descontrole e excesso alimentar em algum período do dia , alerta Roberta. Além disso, não realizar, pelo menos, cinco refeições por dia, faz com que a quantidade de nutrientes importantes para o corpo não seja fornecida adequadamente.

4- Estipular metas difíceis de serem atingidas.
Estabelecer metas de grande perda de peso, em pouco tempo, pode surtir efeito contrário e levar à desistência do projeto. Estabeleça pequenas metas durante o processo de emagrecimento. As vitórias ao longo do caminho servem como estímulo e mostram que é possível chegar ao peso desejado , aconselha.

5- Beber pouca água Zero calorias e muitos benefícios.
Mesmo assim, muita gente faz cara feia na hora de beber água (2 litros é a dose mínima por dia). Além de fundamental para se manter bem hidratado, o consumo de água durante o dia retarda a sinalização de fome. Portanto, ela está envolvida com a menor ingestão de alimentos, diminuindo as calorias diárias.

6- Comer depressa demais.
Quando você faz refeições rápidas demais não dá o tempo necessário para o cérebro entender que o estoque de alimentos foi reposto e que, portanto, você pode parar de comer. É preciso reservar, pelo menos, 30 minutos para fazer as refeições. Ingira os alimentos calmamente, em um ambiente tranquilo, evitando comer na frente do computador ou da televisão , completa.

7- Extrapolar na quantidade dos alimentos.
A moderação é mais um segredo para ver o ponteiro da balança descer. Ingerir uma quantidade de alimentos além da necessária leva ao excesso calórico que, por sua vez, resulta no ganho de peso.

8- Dar importância desmedida ao regime.
Focar toda a sua atenção à dieta, não é nada estimulante. Pensar no cardápio equilibrado a todo momento leva a uma sensação de privação e punição por ter adquirido os quilinhos extras. Veja positivamente sua mudança de hábitos alimentares. Quando menos esperar, o emagrecimento vai aparecer.

9- Beliscar o tempo todo.
Beliscar o dia todo faz com que você perca a noção da quantidade de alimentos ingeridos. O melhor a fazer é estipular horários para pequenos lanches entre as refeições principais. Isso ajuda muito a evitar qualquer tipo de excesso.

10- Dispensar legumes e verduras.
Fazer dieta, para você, é sinônimo de cortar calorias (a inclusão de alimentos saudáveis é só um adicional). Grande engano, já que legumes e verduras são indispensáveis na mesa. Além dos inúmeros nutrientes que oferecem, os vegetais são ricos em fibras e saciam sua fome mais rapidamente. Deixar de ingeri-los leva a um maior consumo de alimentos e calorias, prejudicando assim, o emagrecimento.

11- Ignorar as informações dos rótulos.
As informações contidas nos rótulos dos alimentos são as melhores armas para os consumidores encherem o carrinho de compras saudáveis. Analisando as tabelas, dá para saber se a porção do alimento tem calorias excessivas, nutrientes importantes, ou ainda, se é rica em gorduras e açúcares.

12- Sofrer com a ansiedade pelos resultados.
Evite se pesar em diversos momentos do dia. A variação apontada pela balança é normal em diferentes horários e até em dias consecutivos. Essas mudanças, principalmente quando o ponteiro sobe, podem desanimar quem está de dieta. Por isso, pese-se somente a cada sete dias, com menos roupas possíveis, no mesmo horário e na mesma balança.

13- Cometer deslizes nos finais de semana.
Muitas pessoas fazem um pequeno deslize se transformar em início da desistência do projeto de emagrecimento. Para se prevenir, fuja de situações que incentivam o excesso. Caso já tenha extrapolado, volte à dieta logo em seguida, sem restrições exageradas para compensar as calorias a mais.

14- Não praticar exercícios.
Por aumentar o gasto calórico, as atividades físicas são excelentes meios para acelerar o emagrecimento. Outros pontos positivos dos exercícios é que eles diminuem a porcentagem de gordura corporal e aumentam a massa magra. Como os músculos queimam mais calorias, as atividades físicas ainda ajudam na manutenção do peso.

15- Ser fã dos chopinhos nas happy hours.
O típico encontro com os amigos após o expediente pode ser uma armadilha para quem quer emagrecer. Chope, batata frita, amendoim e salgadinhos esbanjam calorias e nunca faltam nas happy hours. Você não precisa deixar de sair com os amigos, mas proponha bares e restaurantes que oferecem opções de petiscos mais saudáveis.

16- Não substituir as frituras pelos grelhados.
Se você ainda não se convenceu de que precisa substituir os alimentos fritos pelos grelhados, aí vai uma boa causa: eles têm o dobro ou mais calorias que suas versões assadas ou feitas na chapa. Prefira sempre o grelhado.

17- Ceder aos doces.
Na lista de campeões em gorduras e açúcares, os doces certamente levam a um excesso calórico. Resista ao máxima, Se a vontade for muita, opte pelas menores porções.

18- Acreditar em dietas milagrosas.
As dietas altamente restritivas são caminho certo para o abandono do plano de emagrecimento. Opte por uma dieta equilibrada que faça com que a redução de peso seja gradual, mas efetiva . (Ficar só na sopa, chá, shake ou proteína arrasa sua dieta)

19- Deixar de incluir lanches entre as refeições principais.
Deixar intervalos grandes entre um prato principal e outro faz você chegar faminto às refeições. Não fique mais que quatro horas sem se alimentar. Garanta isso fazendo pequenos lanches.

20- Exagerar na determinação
Quando a vontade por alguma tentação aperta, você resiste bravamente. A atitude exemplar nem sempre é a mais ideal. Acumular vontade pode levar a um descontrole mais adiante. Se a vontade de comer um doce for muito grande, por exemplo, coma um bombom ou uma barrinha pequena de chocolate. Assim, você evita comer a caixa de bombons inteira em algum outro momento.

21- Tomar refrigerantes
As bebidas gaseificadas dão uma falsa sensação de saciedade. O que acontece é que, logo após uma refeição, você volta a sentir fome mais cedo e passa a beliscar. Para acompanhar as refeições, opte por um copo de água ou de suco natural.

Fonte: Minha Vida

Químicos elevam risco de obesidade

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

Exposição no útero a substâncias de garrafas e embalagens é perigosa

A exposição no útero a substâncias químicas freqüentemente usadas para fazer garrafas plásticas e embalagens de alimentos podem aumentar as chances de uma pessoa se tornar obesa mais tarde na vida. Segundo cientistas americanos, estudos com ratos mostram que os animais expostos a doses das substâncias durante o desenvolvimento tinham peso maior quando atingiram idade avançada, em comparação aos que não foram expostos a estes componentes. – Estamos falando de uma exposição a níveis muito baixos por um tempo reduzido durante o desenvolvimento – disse Jerry Heindel do Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambientais dos EUA. – O fato de o período ser tão sensível pode favorecer a alteração do tecido que aumenta o risco de obesidade. Uma das substâncias é chamada Bisfenol A, encontrada nos plásticos policarbonatos que embalam comidas e bebidas. Uma equipe da universidade americana Tufts mostrou que as ratas expostas ao químico no início da gravidez ganharam mais peso na idade adulta inclusive quando comiam a mesma quantidade de comida e eram tão ativas quanto as outras ratas. Um efeito similar ocorreu com ácido perfluorooctanóico, agente indicador de gordura em produtos como sacos de pipoca de microondas. Os animais eram geralmente pequenos quando nasciam e se tornavam obesos mais tarde. – Um dos problemas é que não sabemos onde todos esses químicos estão – disse Suzanne Fenton, biólogo da Agência de Proteção do Meio Ambiente dos EUA. As substâncias parecem prejudicar o sistema endócrino alterando funções genéticas e metabólicas envolvidas no ganho de peso, segundo Bruce Blumberg, biólogo da Universidade da Califórnia. O resultado é que as células de gordura começam a armazenar gordura de forma mais eficiente, o que faz com que aumentem de tamanho. Blumberg estudou o tributilestanho, químico presente em tintas, plástico filme usado para embalar alimentos e fungicida para plantações. A descoberta sugere que os cientistas precisam identificar biomarcadores para identificar as pessoas em risco. A Organização Mundial de Saúde estima que 400 milhões de pessoas sejam obesas, um problema que aumenta o risco de condições como diabetes do tipo 2 e doenças cardíacas. Estudos anteriores já haviam ligado estes químicos – também encontrados em canos de água – ao câncer e a problemas reprodutivos, levando vários países e os EUA a considerar banimentos ou limites aos componentes.

COMER A NOITE ENGORDA?

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

NÃO. O que faz com que haja o ganho de peso é a quantidade calorias maior do que a necessidade. Se as calorias estiverem adequadas para que não haja o ganho de peso e os alimentos estiverem bem distribuídos, fazer uma refeição à noite será indicado.

Um apelo à vida

setembro 15th, 2016 | Posted by Giselle in Arquivo - (0 Comments)

O aumento do poder de compra gerou bons efeitos, mas, também, outros tantos que são péssimos. Um deles foi o crescimento desordenado do consumo de alimentos com excesso de gordura, açúcar e colesterol. O retrato do Brasil, hoje, é de uma população com grande número de obesos e, o que é pior, alguns portadores da trágica obesidade mórbida. Isto acontece quando há acúmulo excessivo de gordura, passando dos limites estruturais e físicos do corpo humano. Com tal problema, a incidência de doenças de risco como hipertensão, insuficiência cardíaca, diabetes e vários tipos de câncer aumenta consideravelmente. Para quem sofre deste problema, as soluções são poucas – a última chance para os obesos mórbidos é a chamada cirurgia bariátrica, conhecida vulgarmente como “redução de estômago”. Tal operação, de alto risco, virou alvo de ação conjunta do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público Estadual (MPE). O MPF conseguiu, via liminar, que o Hospital Santa Rita, em Maringá, realize quatro cirurgias bariátricas por mês, através do Sistema Único de Saúde (SUS). A medida também vale para o Hospital Universitário de Maringá, o único da região até agora credenciado para realizar tal operação. Só na cidade do norte paranaense há 344 pessoas esperando por este tipo de intervenção. A ação do Ministério Público reflete um descaso das autoridades competentes. Ainda não se vê a obesidade com a preocupação de outras nações nos Estados Unidos, é uma doença de alto risco como câncer e aids. Aqui, ainda se permite anúncios de alimentos com alto teor de gordura no horário nobre da televisão. E o reflexo é que 66% dos jovens brasileiros estão acima do peso ideal. No todo, mais da metade de nossa população (51%) está obesa. Destes, 3% são obesos mórbidos. Quase cinco milhões de pessoas, muitas delas sem condição de pagar um plano de saúde que o permita fazer um tratamento correto de redução de peso. Enquanto isso, continuam os petiscos, salgadinhos, doces e guloseimas à mão de qualquer um, principalmente das crianças. E a saúde brasileira parece nem se preocupar com isso.